Furtos no comércio equivalem a 16 euros por português

Os furtos no comércio equivalem a 16 euros por português.  A perda desconhecida equivale a 0,90% das vendas do setor retalhista em Portugal, representando 301 milhões de euros. Segundo o Barómetro Global do Furto no Retalho 2014-2015, os "roubos" por delinquência representam 52% das perdas, isto é, quase 157 milhões de euros, o equivalente a 16 euros por português.

O inquérito elaborado por The Smart Cube e o investigador Ernie Deyle, com o apoio da Checkpoint Systems, sublinha que, apesar do valor das perdas (0,90% das vendas), Portugal é o sexto país do mundo com menor índice neste indicador de furtos no retalho. situando-se bem abaixo da média europeia (1,05%). O ranking é liderado pela Noruega, a Suíça e França.

A principal causa da perda em Portugal resulta da delinquência nos meios comerciais, que representa 52% das perdas, seguido pelo furto por colaboradores desonestos (29%), a fraude por provedores (13%) e, por fim, as consideradas perdas administrativas (6%).

De um modo geral, as perdas registam-se sobretudo em hipermercados (1,2%) e retalhistas de vestuário (1,08%). As lojas de produtos desportivos e retalhistas diversos registam as perdas mais baixas – 0,71% e 0,5%, respectivamente.

À semelhança do que se passa em toda a Europa, os artigos com maior índice de furto são essencialmente smartphones, tablets, acessórios de telemóveis, lâminas de barbear, sapatos e acessórios de moda, bebidas alcoólicas e carnes frescas – todos eles por serem fáceis de ocultar, e ao mesmo tempo que possuem um potencial de revenda bastante elevado e rápido. O furto aumenta ainda no inverno e no verão, coincidindo com as épocas festivas e estivais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de