restauração

Português Belcanto sobe 33 posições e é 42º melhor restaurante do mundo

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Restaurante lisboeta de José Avillez é o único português da lista dos melhores do mundo.

O restaurante Belcanto, de José Avillez, é um dos 50 melhores do mundo. Com duas estrelas Michelin, o restaurante lisboeta saltou do 75.º lugar para o 42.º (a lista inclui 120 restaurantes). O ranking é liderado pelo francês Mirazur, seguido pelo Noma na dinamarca e pelo espanhol Asador Etxebarri.

O anúncio foi feito na terça-feira, em Singapura, na gala do 50 Melhores Restaurantes do Mundo. O Belcanto é o único restaurante português na lista dos melhores do mundo.

Este ano, as regras mudaram, tornando esta lista “mais controversa do que nunca”, de acordo com a Time, já que os restaurantes que ocuparam os primeiros lugares nos últimos anos, deixaram de fazer parte do ranking, passando para um grupo chamado “Os Melhores dos Melhores”. De acordo com a organização, o objetivo das novas regras é “promover a humanidade, a inclusão e a oportunidade”, dando espaço para outros restaurantes brilharem.

Na escolha dos restaurantes, os votantes – desde chefs a gastrónomos de todo o mundo – devem ter em conta a diversidade de género e geográfica. Nos anos anteriores, a organização foi criando distinções como “Os Melhores restaurantes da América Latina” ou a “Melhor Mulher Chef“.

Lançada em 2002 pela revista britânica Restaurant, a lista World’s 50 Best Restaurants rapidamente se tornou numa das forças mais influentes da gastronomia moderna. Os restaurantes que ganham um lugar no ranking, frequentemente veem as suas reservas crescer, e aqueles que ocupam o top 10 podem contar com a curiosidade dos media. Número 1 em 2013 e 2015, o restaurante El Celler de Can Roca teve dois milhões de pedidos de reserva durante as 24 horas seguintes à cerimónia, conta o chef Joan Roca à Time.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Português Belcanto sobe 33 posições e é 42º melhor restaurante do mundo