OE 2018

IRS desce para todos à boleia da sobretaxa e dos escalões

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Entre os pensionistas e trabalhadores dependentes não há dúvidas: todos pagarão menos em 2018. Quem passa recibos verdes terá de reunir faturas.

Seja por causa da alteração do mínimo de existência – que protege do IRS as pessoas com rendimentos de trabalho ou pensões de valor mais baixo – do desdobramento dos 2º e 3º escalões ou da eliminação da sobretaxa, a generalidade dos contribuintes destas categorias de rendimento pagará menos imposto em 2018. O alívio pode ser de 728,75 euros para um trabalhador ou reformado que recebe 750 euros por mês ou de 1116,06 euros se for de 5 mil euros por mês. No primeiro caso, o desagravamento deve-se ao mínimo de existência; no segundo à eliminação da sobretaxa, como mostram as simulações realizadas pela Deloitte.

Junto dos recibos verdes, o facto de o OE 2018 prever que passem a ser abrangidos pelo mínimo de existência e a ter uma dedução específica automática (de 4104 euros) garante isenção de imposto entre os que ganham menos. Daí para cima, terão de passar a ter a preocupação em reunir faturas das suas despesas, porque os coeficientes de rendimento e despesas vão manter-se inalterados, mas estas deixam de ser atribuídas de forma automática.

Os trabalhadores independentes beneficiarão também das alterações dos escalões e do fim da sobretaxa.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ministro da Economia Pedro Siza Vieira, no Roteiro Automóvel, visitou a PSA e conduziu um dos carros fabricados em Mangualde.  (João Silva / Global Imagens )

Governo quer choque elétrico nas fábricas de automóveis

Ana Jacinto, secretária-geral da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP) antes de uma entrevista, esta manhã nos estúdios TSF.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

Ana Jacinto. Hotelaria e restauração precisam de mais de 40 mil trabalhadores

despedimentos coletivos

Despedimentos coletivos voltam a subir em 2019 e arrasam no Norte

IRS desce para todos à boleia da sobretaxa e dos escalões