Riqueza

Saiba quem são os 10 mais ricos de Portugal

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

Há mais milionários em Portugal mas a fortuna acumulada manteve-se e representa menos na economia portuguesa, segundo a Forbes.

Há mais milionários em Portugal mas com menos peso na economia nacional. A conclusão é da revista Forbes Portugal, que contabilizou 50 pessoas com fortunas líquidas acima dos 190 milhões de euros, mais cinco do que em 2018. Nos 10 primeiros lugares, destaque para a entrada de Dionísio Pestana e de Luís Amaral, a subida de José Neves e a saída das famílias Queiroz Pereira, Mello e Violas.

A lista dos mais ricos de Portugal continua a ser liderada por Fernanda Amorim, que tem uma fortuna acumulada de 4,173 mil milhões de euros, menos 7,2% face a 2018. Em segundo, surge Alexandre Soares dos Santos, cuja riqueza cresceu 3,5%, para 3,554 mil milhões de euros. Vítor da Silva Ribeiro e família, os donos da Alves Ribeiro, conservaram a terceira posição, apesar de a fortuna acumulada ter caído quase 15%, para 1,192 mil milhões de euros

Entre os 50 milionários portugueses, há 36 homens e 14 mulheres. Quase dois terços ficaram nesta condição através da herança; apenas 18 criaram e acumularam riqueza a partir do zero.

A revista apenas indicou todos os nomes colocados no top-10. Mas fora dos 10 mais ricos há alguns nomes em destaque: Cristiano Ronaldo tem um património avaliado em 439 milhões de euros; Mário Ferreira, o líder da Douro Azul, tem uma fortuna avaliada em 354 milhões de euros, depois da venda de 40% da holding Mystic Invest, que gere o negócio dos cruzeiros.

Nota também para Paulo Rosado, líder da Outsystems, que acumula uma fortuna acima dos 300 milhões de euros; Manuela Medeiros, fundadora e líder da Parfois, com uma fortuna de 290 milhões de euros; o agente desportivo Jorge Mendes, através da Gestifute e de vários investimentos imobiliários, acumula uma fortuna de 263 milhões de euros.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens

OCDE. Famílias portuguesas podem perder 50% do rendimento se vier uma nova crise

Angel Gurría, secretário-geral da OCDE, e Pedro Siza Vieira, ministro da Economia. Fotografia: Diana Quintela/ Global Imagens

OCDE. Famílias portuguesas podem perder 50% do rendimento se vier uma nova crise

Alberto Souto de Miranda
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Governo. “Participar no capital” dos CTT é via “em aberto”

Outros conteúdos GMG
Saiba quem são os 10 mais ricos de Portugal