Habitação

Viver numa casa de 3 m² por 250 euros? Polémica chegou a Espanha

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.

A Haibu 4.0 chegou à capital catalã com o primeiro projeto de habitação partilhado no qual disponibilizará às pessoas “casas-cápsula”.

Já imaginou pagar 250 de renda para viver num espaço de três metros quadrados? Sim, é possível. As “casas-cápsula” da Haibu 4.0 já chegaram a Barcelona, em Espanha.

O projeto de habitação partilhada faz lembrar colmeias e faz jus ao nome, já que “haibu” quer dizer “colmeia” em japonês. Além das áreas individuais para dormir, existe ainda uma cozinha e zona de banho para partilhar. A renda inclui também as despesas de luz, água e internet. A Haibu 4.0 explicou ao jornal espanhol El Economista que esta é uma solução pensada para jovens e pessoas com baixos rendimentos.

As habitações destinam-se apenas a pessoas entre os 25 e os 45 anos que tenham um rendimento mínimo de 450 euros por mês.

Leia também: As 30 casas (pequenas) mais bonitas do mundo e uma ‘fala’ português

A empresa ainda se encontra em conversações com a autarquia de Barcelona, que não vê com bons olhos este modelo de habitação. Citado pelo mesmo jornal, o município catalão afirma que não concederá licenças para este tipo de projetos uma vez que não cumprem os requisitos mínimos de habitabilidade. No entanto, a Haibu 4.0 garante que vai dar início à atividade ainda no mês de setembro.

Tal como acontece em Portugal, também no país vizinho o valor das rendas tem vindo a aumentar a passo galopante. Dados da Câmara Municipal de Barcelona, citados pelo The Guardian, dão conta de que a renda média de um apartamento na cidade aumentou 28,7% entre 2014 e 2017, para mais de 900 euros. O salário médio mensal dos espanhóis é de 1880 euros. Para aqueles que têm menos de 30 anos, este valor situa-se abaixo dos 1300 euros, tornando difícil suportar o valor de uma renda.

Percorra a galeria de imagens acima clicando sobre as setas.
Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O empresário Joe Berardo à chegada para a sua audição perante a II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco, na Assembleia da República, em Lisboa, 10 de maio de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Joe Berardo: “Tenho servido de bode expiatório”

Carlos Costa. Foto: JOSÉ SENA GOULÃO/LUSA

BdP vai divulgar relatório dos grandes devedores mas incompleto

O ministro das Finanças, Mário Centeno. Fotografia: José Sena Goulão/Lusa

Centeno assegura clarificação das dúvidas do BCE

Outros conteúdos GMG
Viver numa casa de 3 m² por 250 euros? Polémica chegou a Espanha