Energia

Gás natural mais barato. Tarifa desce mais de 18%

As tarifas de gás natural vão voltar a descer
As tarifas de gás natural vão voltar a descer

Esta redução expressiva será feita em duas partes. A 1 de maio, a tarifa desce já 6,1% e a 1 de julho volta a cair mais 13,3%. Tarifa social terá um desconto de 31,4% na conta mensal.

O preço do gás natural para os cerca de 400 mil clientes domésticos que ainda estão no mercado regulado e para o pequeno comércio vai descer 18,5% até julho deste ano, anunciou esta quinta-feira a Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE).

É a segunda vez consecutiva que se verifica uma descida da tarifa do gás, que é ainda maior que a registada o ano passado, que foi de 7,3%. Ou seja, a descida que se vai verificar este ano é a maior de sempre em Portugal.

“Esta redução expressiva vai fazer com que haja uma convergência de preços com Espanha e uma diferença menor em relação aos preços praticados na Europa”, referiu o presidente da ERSE, Vítor Santos, numa conferência de imprensa esta tarde, precisamente para a divulgação das tarifas.

Tal como aconteceu no ano passado, a descida dos preços será feita em duas partes. A 1 de maio, a tarifa cai já 6,1% por causa da descida da cotação do petróleo que tornou o aprovisionamento de gás mais barato. E a 1 de julho volta a descer mais 13,3%, neste caso devido à descida da tarifa de acesso às redes, um valor que é pago às empresas e que, mais uma vez será reduzida devido à intervenção do regulador.

Contas feitas, segundo os cálculos da ERSE, a partir de julho as contas mensais vão descer 2,36 euros para um agregado familiar de duas pessoas e com uma conta média de 10,61 euros e vão baixar 4,63 euros para um agregado com quatro pessoas e com uma fatura média de 20,03 euros.

Contudo, tal como referido, apenas os cerca de 400 mil consumidores que ainda estão no mercado regulado é que beneficiarão deste corte. O restante um milhão que já se encontra no mercado liberalizado têm preços definidos pelas empresas, mas como esses são normalmente um desconto face à tarifa regulada, ao descer no regulado desce também no liberalizado.

“Apesar desta descida ser tão expressiva, não creio que aconteça haver um preço mais baixo no mercado regulado do que no mercado livre”, disse o presidente da ERSE.

Vítor Santos disse ainda que haverá também um desconto na tarifa social e que, a partir de julho será de 31,2% a aplicar sobre a fatura mensal que cada beneficiário tem atualmente.

Preços descem até 28,4% para a indústria e empresas

Se os preços descem para os consumidores domésticos e para o pequeno comércio também descem para a pequena e grande indústria e empresas. E até descem mais.

Assim, segundo os dados fornecidos esta quarta-feira pelo regulador, a descida será de 21,1% para os consumos acima de 10 mil m3 (pequena indústria e empresas) e de 28,4% para a grande indústria e empresas, ou seja, com consumos superiores a um milhão de m3.

Em ambos os casos, a descida será igualmente em duas fases. Assim, em maio desce 7,5% para a pequena indústria e em julho mais 14,6%. E para a grande indústria desce 10,2% em maio e mais 20,2% em julho.

Descida tem de ser aprovada

Esta redução dos preços do gás é, tal como acontece na eletricidade, uma proposta da ERSE que terá de ser aprovada pelo Conselho Tarifário (CT) até 15 de junho, mas só a que entra em vigor a 1 de julho, ou seja, a de 13,3%.

A descida de 6,1% que entra em vigor já daqui a 15 dias, a 1 de maio, não precisa de ser aprovada porque te a ver com a cotação do petróleo e é uma decisão já tomada pela ERSE.

Contudo, a julgar pelo que acontece nos anos anteriores o CT não se oporá.

Mercado livre e tarifa social a crescer

Segundo os mesmos dados do regulador, o mercado livre de gás natural está a crescer rapidamente e conta já com um milhão de consumidores. O ano passado, por esta altura tinha 868 mil consumidores, ou seja, ganhou 138 mil clientes num ano, a uma média de 11 mil mudanças por mês.

Diz Vítor Santos que este rápido crescimento se deve à existência de várias ofertas no mercado. Pelas contas da ERSE, no total há oito operadores que comercializam gás natural com 61 ofertas. Destas, 21 são só de gás, 25 são de gás e eletricidade e 15 de gás com oferta de outros serviços.

Já o número de beneficiários da tarifa social também tem estado a crescer, principalmente desde que “o regulador anunciou as investigações à EDP e à Galp Power”, comentou Vítor Santos.

De acordo com o presidente da ERSE, a taxa de crescimento tem sido de 25% por trimestre, sendo que os últimos números apresentados davam conta de um total de 110 mil beneficiários de luz e gás.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fotografia: REUTERS/Mike Segar

Moody’s. Falta de reformas no mercado de trabalho empata crescimento português

Fotografia: D.R.

Portugal é o sexto país europeu onde o consumo mais cresce

Fotografia: Leonel de Castro / Global Imagens

Procura de quartos para alugar cresce 52% entre maio e agosto

Outros conteúdos GMG
Gás natural mais barato. Tarifa desce mais de 18%