Sem impostos, gasolina subiu 25% desde o primeiro trimestre

Portugal tem a quinta gasolina mais cara da UE, indica a ERSE.

O preço médio de venda da gasolina, sem impostos, escalou 25% entre o primeiro e o terceiro trimestre, num contexto de crise energética que viu os inventários europeus de produtos petrolíferos refinados ao nível mais baixo dos últimos anos.

Segundo o último boletim da Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos (ERSE) relativo aos preços praticados na UE, o preço médio da gasolina 95 atingiu em Portugal no terceiro trimestre 0,69 euros por litro. Comparando com os dados mais recuados desta entidade, referentes ao primeiro trimestre, regista-se uma subida de 14 cêntimos, ou de 25%, nos cálculos do DN/Dinheiro Vivo. Esta subida tem levado à redução da carga fiscal da gasolina, que no terceiro trimestre ficou em 59%.

Incluindo impostos, o preço médio da gasolina atingiu os 1,67 euros por litro, mais 17 cêntimo ou 11% que no primeiro trimestre. Antes ou depois de impostos, Portugal tem a quinta gasolina mais cara da UE, indica o mesmo boletim.

No mesmo período, o preço médio do gasóleo sem impostos subiu 19% (11 cêntimos), para 0,67 cêntimos. Incluindo impostos, o preço do gasóleo chegou a 1,46 euros, agravado em 10% ou 13 cêntimos. Considerando impostos, Portugal vende o sexto gasóleo mais caro da UE, com a carga fiscal em 54%. A ERSE dá ainda conta dos preços do GPL. Sem impostos, o preço médio atingiu no terceiro trimestre 46 cêntimos, mais 11% ou quatro cêntimos. Com impostos, o preço estava em 72 cêntimos, mais 15% ou 10 cêntimos.

Hoje entra em vigor a medida autovoucher, que permitirá poupar até cinco euros por mês no abastecimento de combustíveis. Prevê um desconto de dez cêntimos por litro, até um limite de 50 litros por mês, e prolonga-se até março. Dois terços das bombas já aderiram, garante o Ministério das Finanças.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de