Gaspar: a culpa da queda do investimento nacional é da chuva

ng3100220

O ministro das Finanças justificou a quebra na atividade económica com as más condições meteorológicas vividas na primeira metade do ano. A responder ao deputado Honório Novo no debate para votação do Documento de Estratégia Orçamental e Orçamento Retificativo, Vítor Gaspar lembrou que a contração do PIB português, que segundo o INE foi de 4% no primeiro trimestre, foi motivada, em parte, pela quebra do investimento na construção.

E justifica: O investimento foi “adversamente influenciado pelas condições meteorológicas do primeiro trimestre que afectaram a actividade da construção.”

“No primeiro trimestre de 2013 temos um abrandamento da contração da atividade económica de 2,8%” para os 0,2, o que compara com uma contração de 0,4 no mesmo período do ano passado, explicou Vítor Gaspar. Isto significa, nas palavras do ministro, que “temos uma contração da atividade económica menor que a de vários países da UE, incluindo Espanha e Itália, que têm contração de 0,5%”.

Vítor Gaspar lembra que “naturalmente” o investimento continua a ser uma área “muito preocupante” para o governo, que tenta agora implementar uma terceira fase do programa de ajustamento, que permita acomodar crescimento e consolidação orçamental.

“Este orçamento rectificativo tem medidas concretas de carácter fiscal que se destinam a promover a recuperação do investimento na segunda metade do ano”, sublinhou o ministro das Finanças.

Também o ministro da Economia veio reiterar este objetivo dizendo que “quem acha que há antagonismo entre consolidação orçamental e crescimento não está a ver o problema. Temos de crescer ao mesmo tempo que consolidamos. A dívida externa é duas vezes superior ao que produzimos num ano”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Patrick Drahi, fundador da Altice

Altice. Dona da PT confirma conversações para compra da TVI

Tesouro italiano coloca milhões a taxas de juros mínimas

Governo italiano aprova resgate de dois bancos à beira da falência

António Serrano, nos estúdios da TSF. Professor catedrático e político português, foi Ministro da Agricultura, do Desenvolvimento Rural e das Pescas do XVIII Governo Constitucional de Portugal.
(Reinaldo Rodrigues/Global Imagens)

António Serrano: “É preciso um choque de gestão no território florestal”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Gaspar: a culpa da queda do investimento nacional é da chuva