Gaspar: Governo estuda corte na Taxa Social Única para setores “prioritários”

Vítor Gaspar
Vítor Gaspar

A descida da Taxa Social Única (TSU) para alguns setores vai ser equacionada no próximo Orçamento do Estado, referiu hoje Vítor Gaspar.

O ministro das Finanças afirmou existir “disponibilidade” por parte do Governo para “no âmbito do Orçamento do Estado para 2013 reduzir a TSU em setores identificados como prioritários” do mercado laboral. Vítor Gaspar que está a ser ouvido no Parlamento sobre os resultados da quarta avaliação da troika a Portugal voltou a sublinhar os números do desemprego, para referir que “a situação no mercado de trabalho, justifica medidas de política”.

A descida da TSU – que já tinha sido equacionada quando foi divulgado o programa “Impulso jovem” – visa reduzir os custos de trabalho em Portugal e contribuir para estancar a subida do desemprego.

A redução da TSU (cujo valor atual é de 23,75% sobre o salário bruto) está prevista no memorando da troika, mas foi deixada cair durante as negociações do acordo tripartido de Concertação Social. O Governo regressa agora ao tema, admitindo no entanto que esta redução seja direcionada apenas a alguns setores de atividade.

No âmbito do programa “Impulso jovem” está prevista uma redução temporária da TSU para as empresas que contratem jovens desempregados, estipulando-se contudo um limite máximo de 175 euros.

No decurso da última avaliação a Portugal, foram revistas em alta as estimativas da taxa de desemprego, esperando-se agora que atinja 15,5% este ano e suba para 16% no próximo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Gaspar: Governo estuda corte na Taxa Social Única para setores “prioritários”