Greve dos motoristas

GNR e PSP conduziram 28 camiões de combustível na 3ª e 4ª feira

Um da GNR conduz um camião cisterna à chegada sede da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, durante o segundo dia greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas e de mercadorias. TIAGO PETINGA/LUSA
Um da GNR conduz um camião cisterna à chegada sede da Companhia Logística de Combustíveis (CLC), em Aveiras de Cima, durante o segundo dia greve por tempo indeterminado dos motoristas de matérias perigosas e de mercadorias. TIAGO PETINGA/LUSA

A operação, adiantou o ministério, envolveu 49 elementos das forças de segurança.

A GNR e a PSP asseguraram, na segunda e terça-feira, o transporte de combustível em 28 camiões-cisterna no âmbito da situação de alerta declarada pelo Governo devido à greve dos motoristas de matérias perigosas, foi hoje anunciado.

“Na sequência da situação de alerta declarada pelo ministro da Administração Interna, foram assegurados pela Guarda Nacional Republicana [GNR] e pela Polícia de Segurança Pública [PSP], entre os dias 12 e 13 de agosto, transportes de combustível em 28 veículos pesados de transporte de mercadorias perigosas”, refere o ministério da Administração Interna em comunicado hoje divulgado.

Segundo a mesma fonte, o transporte feito pelas duas forças policiais teve como destino as regiões de Lisboa, Faro, Setúbal, Sintra, Beja e Algarve.

A operação, adiantou o ministério, envolveu 49 elementos das forças de segurança.

A situação de alerta – declarada na sequência da situação de crise energética — está em vigor entre as 23:59 do dia 9 de agosto e as 23:59 de 21 de agosto.

Os motoristas de matérias perigosas e de mercadorias cumprem hoje o terceiro dia de uma greve por tempo indeterminado, que levou o Governo a decretar uma requisição civil na segunda-feira à tarde, alegando incumprimento dos serviços mínimos.

Portugal está, desde sábado e até às 23:59 de 21 de agosto, em situação de crise energética, decretada pelo Governo devido a esta paralisação, o que permitiu a constituição de uma Rede de Emergência de Postos de Abastecimento (REPA), com 54 postos prioritários e 320 de acesso público.

A greve foi convocada pelo Sindicato Nacional dos Motoristas de Matérias Perigosas e pelo Sindicato Independente dos Motoristas de Mercadorias, com o objetivo de reivindicar junto da Associação Nacional de Transportadores Públicos Rodoviários de Mercadorias o cumprimento do acordo assinado em maio, que prevê uma progressão salarial

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
PORTUGAL REUNIÃO DA CONCERTAÇÃO SOCIAL

Corrida ao subsídio de desemprego explode durante a pandemia

Aviao TAP

TAP reforça rede em outubro: 82 rotas e 666 voos semanais no plano

TAP

Só 1 em cada 20 passageiros no Porto voa na TAP

GNR e PSP conduziram 28 camiões de combustível na 3ª e 4ª feira