Google quer ajudar retalhistas a internacionalizar. Dott já pensa na Europa

Sete retalhistas nacionais arrancam o Google Retail Export Accelerator Program, uma iniciativa da Google para ajudar retalhistas a internacionalizar.

Há mais de um ano que o Google estava a preparar este programa, mas foi em plena fase de reabertura da economia, depois do confinamento provocado pela pandemia do covid-19, que o gigante tecnológico arrancou com o Retail Export Accelerator Program. Continente, Dott, Hôma, Lion of Porches, Mr. Blue, PCDIGA e Zippy são os retalhistas nacionais com que arranca o programa de 10 semanas e que pretende ajudar os retalhistas nacionais a conquistar novos mercados através do comércio online.

A Dott.pt, o marketplace que tem a Sonae e os CTT como acionistas, já só pensa na Europa. "Não vamos à procura de geografias, mas afinidade com consumidores que tenham afinidade com os produtos (que comercializam)", diz Gaspar D'Orey, CEO do Dott.pt, numa teleconferência com jornalistas para a apresentação do programa de aceleração do Google.

"Vamos procurar onde os nossos 2,5 milhões de produtos, de mais de mil empresas, vão ter mais tração", refere o CEO do marketplace que acaba de fazer um ano de existência. Ou seja, "procurar bolsas de oportunidade nas diferentes geografias".

Na mira estão os 26 países da União Europeia, "nos quais os grandes marketplaces estão apenas em cinco países", refere o gestor, vendo ai uma oportunidade para a Dott replicar nesses mercados o mesmo modelo com que arrancou em Portugal, em que empresas portuguesas - das mil que estão na plataforma mais de 90% são nacionais - vendem para consumidores nacionais.

Colocar após 10 semanas as empresas participantes a vender em, pelo menos, um novo mercado é o objetivo do Google Retail Export Accelerator Program. Ao longo do programa as empresas participantes poderão estudar diversos mercados ao nível da procura, concorrência, logística, pagamentos e outros temas operacionais, procurando com isso dar às empresas os recursos e as ferramentas necessárias para as suas estratégias de crescimento e aceleração da sua internacionalização.

Constituído por 8 sessões online com especialistas da Google, no programa serão abordados vários temas relacionados com processos de internacionalização, insights de indústria, workshops diversos, sessões com convidados externos, bem como de mentoring individuais.

"Olhamos para os principais retalhistas para os que tinham possibilidade de exportação de imediato, pela sua dimensão, mas também agilidade para entrar neste programa de 10 semanas", justifica Nuno Pimenta, Industry Head Start Ups, Retail & Travel na Google Portugal, quando questionado sobre os critérios de escolha das empresas participantes no programa de aceleração.

O programa é a mais recente iniciativa da tecnológica para apoiar startups e empresas portuguesas de diferentes dimensões e sectores.

No início do ano, arrancou em Portugal com a primeira edição do StartUps Growth Lab - um programa constituído por workshops, formação e mentoring para startups portuguesas para acelerar o crescimento através da aquisição de novos clientes e de receita - em abril, foi a vez do Indico Accelerator by Google for StartUps. E desde 2016 a tecnológico já deu formação no digital, através do Atelier Digital, a mais de 68 mil pessoas.

Covid-19 empurra crescimento no comércio online

A mais recente iniciativa da Google surge num momento em que o comércio online atingiu valores de crescimento muito significativos, com muitos consumidores confinados em suas casas, e com o comércio de portas fechadas por causa da pandemia do Covid-19, a recorrer ao canal digital para suprir as suas necessidades.

"Tem sido um crescimento acentuado, mas isso depende da categoria, é difícil generalizar", diz Nuno Pimenta. Ainda assim, o responsável da Google Portugal lembra dados do Bank of America que dão conta do crescimento do comércio online nos Estados Unidos.

Até ao final do ano passado, os ritmos de crescimento eram de 16%, em abril foram de 27%, entre 2009 e 2020 cresceu 10 pontos percentuais. "Este ano de janeiro a abril cresceu 9 pontos percentuais, quase tempo como na década anterior", refere.

Gaspar D'Orey não revela números, mas admite que o impacto da situação gerada pela pandemia do novo coronavírus levou a um crescimento no volume de encomendas no Dott.pt.

"Dobramos em março as vendas face a mês anterior, em abril dobramos em relação a março e em maio estamos em linha com abril", refere o CEO do marketplace. Com categorias a registar subidas significativas, caso da de supermercado "que cresceu 50 vezes mais" ou dos brinquedos que cresceu 8 vezes mais. "Esgotamos os puzzles", exemplifica.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de