Brexit

Governo britânico nega negociações para adiar Brexit

REUTERS/ Phil Noble
REUTERS/ Phil Noble

Esta manhã, o Daily Telegraph deu conta de possíveis negociações sobre alargar o prazo formal de saída do Reino Unido da União Europeia.

“Vamos sair da União Europeia a 29 de março”, garantiu Stephen Barclay ministro briânico com a pasta do Brexit. A reação do governante, dada em entrevista à cadeia televisiva Sky News, citada esta terça-feira, 8 de janeiro, o El Economista, surge depois de, esta manhã, o Daily Telegraph ter noticiado que funcionários de topo britânicos e da União Europeia estão a discutir a possibilidade de estender o prazo formal de saída, com receio de que o acordo do Brexit não seja aprovado até 29 de março, data prevista para a saída oficial de Londres do bloco económico.

Stephen Barclay sublinhou ainda que a política do governo de Theresa May é “bastante clara”, tendo negado estarem a decorrer negociações com Bruxelas para adiar a saída do Reino Unido da Europa.

Na edição desta terça-feira, o Daily Telegraph, citando fontes não identificadas ligadas ao processo, revelava que os responsáveis britânicos têm estado a “testar as águas” relativamente a uma extensão do Artigo 50º do Tratado de Lisboa, que estabelece um prazo de dois anos para um país completar o processo de saída da União Europeia.

Stephen Barclay acrescentou que o processo de saída não é uma decisão unilateral para o Reino Unido. E que estender o prazo iria requerer um acordo unânime entre os chefes de estado do Conselho Europeu.

Theresa May adiou a votação do acordo alcançado com Bruxelas para o Brexit, no Parlamento britânico, previsto para o final do ano passado. Esta segunda-feira, foi noticiado que a votação do documento está marcada para 15 de janeiro, embora não seja claro quais serão os passos da primeira-ministra britânica no caso de o acordo não passar.

A primeira-ministra britânica, no entanto, já alertou os legisladores de que, caso o acordo seja rejeitado, o Brexit pode descarrilar ou o Reino Unido pode abandonar a União Europeia sem acordo.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Ricardo Mourinho Félix, Secretário de Estado Adjunto e das Finanças. 
( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

“Cidadãos não vão tolerar situações que ponham estabilidade financeira em risco”

Lisboa, 22/11/2019 - Money Conference, Governance 2020 – Transparência e Boas Práticas no Olissippo Lapa Palace Hotel.  António Horta Osório, CEO do Lloyds Bank

( Filipa Bernardo/ Global Imagens )

Horta Osório: O malparado na banca portuguesa ainda é “muito alto”

Outros conteúdos GMG
Governo britânico nega negociações para adiar Brexit