Governo britânico vai vender no retalho posição que ainda detém no Lloyds

A operação deverá acontecer na próxima primavera

O governo britânico tem a intenção de se desfazer da participação de 13% que ainda detém no banco britânico Lloyds, liderado por António Horta Osório, vendendo as ações junto do retalho. A operação deverá acontecer na próxima primavera.

O anúncio foi feito hoje pelo ministro da Economia, George Osborne, ao revelar que o Governo britânico irá vender ações da instituição financeira avaliadas em 2 mil milhões de libras esterlinas (2,6 mil milhões de euros) a investidores privados.

Assim, na próxima primavera, o governo irá desfazer-se da participação de 13% que ainda detém no banco liderado pelo português António Horta Osório, sendo que as ações vendidas terão um desconto de 5% face ao preço de mercado.

“Estamos a vender as ações aos investidores de retalho, aos pequenos investidores e a todos os que quiserem ter a oportunidade de receber algo depois de ter sido injetado dinheiro no banco”, revelou Osborne.

Recorde-se que o banco liderado pelo português António Horta Osório foi uma das vítimas da crise de 2008 e recebeu um resgate de 20,5 mil milhões de libras (28,2 mil milhões de euros), medida que deixou o Estado com uma participação de 43% no banco, que o Governo tem vindo a diminuir.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
António Costa, primeiro-ministro português, em Bruxelas. EPA/CHRISTIAN HARTMANN / POOL

O que já se sabe que aí vem no Orçamento para 2020

A coordenadora da Frente Comum, Ana Avoila. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Os 0,3% que acabaram com a paz entre função pública e governo

Marcelo Rebelo de Sousa, Christine Lagarde e Mário Centeno. Fotografia: MIGUEL FIGUEIREDO LOPES/LUSA

Centeno responde a Marcelo com descida mais rápida da dívida

Outros conteúdos GMG
Governo britânico vai vender no retalho posição que ainda detém no Lloyds