Coronavírus

Governo corrige e afinal não aumenta lotação máxima nas lojas

Populares junto a uma loja na avenida da Liberdade, em Lisboa, no primeiro dia após o alívio das medidas de emergência devido à situação epidemiológica da covid-19 decretadas pelo Governo no dia 15, em Lisboa, 18 de maio de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA
Populares junto a uma loja na avenida da Liberdade, em Lisboa, no primeiro dia após o alívio das medidas de emergência devido à situação epidemiológica da covid-19 decretadas pelo Governo no dia 15, em Lisboa, 18 de maio de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Comunicado inicial do Conselho de Ministros indicava o aumento da lotação para "evitar concentrações à porta" dos estabelecimentos comerciais.

Afinal, a lotação máxima nas lojas vai manter-se tal como está com restrição de uma pessoa por 20 metros quadrados.

No comunicado inicial do Conselho de Ministros, era referido que “nos estabelecimentos comerciais, a lotação máxima passa de uma pessoa por 20 metros quadrados para uma pessoa por 13 metros quadrados para evitar concentrações de pessoas à porta”.

Numa versão emitida pouco depois, a nota foi corrigida, tendo sido retirada essa referência à lotação máxima nas lojas, confirmou o Dinheiro Vivo junto de fonte da Presidência do Conselho de Ministros.

A limitação está em vigor desde maio depois do fim do estado de emergência para evitar a concentração dos clientes nos estabelecimentos comerciais.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Fotografia: Arquivo/ Global Imagens

Transações de casas caíram 35,25% em abril. Preços começam a abrandar

(João Silva/ Global Imagens)

Estrangeiros compraram menos casas em Portugal em 2019. Preço por imóvel subiu

(JOSÉ COELHO/LUSA)

Cadeias de retalho contra desfasamento de horários. Aguardam publicação da lei

Governo corrige e afinal não aumenta lotação máxima nas lojas