Economia

Governo diz que Moody’s melhorou intervalo de ‘rating’ para a dívida portuguesa

Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens
Fotografia: Filipe Amorim / Global Imagens

O Ministério das Finanças disse hoje que a agência de notação financeira Moody’s “atualizou em alta” o intervalo de ‘rating’ para a dívida portuguesa, para ‘Baa1’-‘Baa3’.

“A Moody’s atualizou em alta o seu intervalo de ‘rating’ para a divida portuguesa, para ‘Baa1’-‘Baa3’, colocando dentro do nível de investimento e acima da notação de ‘rating’ atribuída atualmente”, disse, em comunicado, o Ministério das Finanças.

Na sexta-feira, a Moody’s optou por não rever o ‘rating’ atribuído a Portugal, mantendo a notação ‘Ba1’ (lixo), atribuída ao país desde julho de 2014.

No dia seguinte, em resposta a questões da Lusa, a agência disse que o ‘rating’ atribuído a Portugal será melhorado se concluir que os progressos alcançados a nível orçamental e económico são sustentáveis, e se a redução da dívida for constante.

Numa nota da Moody’s datada de terça-feira, a agência refere que o intervalo de ‘rating’ para a dívida portuguesa é ‘Baa1’-‘Baa3’.

No comunicado hoje divulgado, o ministério liderado por Mário Centeno recorda que as agências Standard & Poor’s e Fitch também já decidiram subir o ‘rating’ de Portugal, bem como a DBRS que, na sua mais recente avaliação, “colocou a notação da dívida portuguesa um grau acima do nível de investimento mínimo”.

“O movimento das principais agências de ‘rating’ mostra um reconhecimento abrangente dos progressos significativos do modelo económico português, baseado na gestão equilibrada das contas públicas e na promoção de um crescimento sustentável”, lê-se no comunicado.

Citado no comunicado, o ministro das Finanças, Mário Centeno, afirma que “Portugal virou decisivamente a página da crise” e que “a estratégia bem-sucedida de crescimento equilibrado e inclusivo explica o ‘momentum’ de rating positivo”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

Foto: DR

IMI baixa para mais de 24 mil famílias que pediram reavaliação

António Mexia lidera a EDP desde 2005

António Mexia, CEO da EDP, ganhou 6.000 euros por dia em 2018

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Governo diz que Moody’s melhorou intervalo de ‘rating’ para a dívida portuguesa