concertação social

Governo e parceiros sociais reúnem-se hoje com Conselho Europeu na agenda

O primeiro-ministro, António Costa (E), o ministro do Trabalho, Vieira da Silva (C), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita. Fotografia: NUNO FOX/LUSA
O primeiro-ministro, António Costa (E), o ministro do Trabalho, Vieira da Silva (C), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita. Fotografia: NUNO FOX/LUSA

O Governo e os parceiros sociais reúnem-se em Reunião de Concertação Social para discutir matérias relacionadas com o próximo Conselho Europeu.

O Governo e os parceiros sociais reúnem-se hoje na Concertação Social para discutir matérias relacionadas com o próximo Conselho Europeu, foi divulgado pelo Ministério do Trabalho.

A reunião plenária da Comissão Permanente de Concertação Social será presidida pelo primeiro-ministro, António Costa, e contará com a participação do ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, José António Vieira da Silva, do ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e do secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita.

A ordem de trabalhos prevê a discussão do Conselho Europeu de quarta-feira, da Cimeira do Euro e do ‘Brexit’ (saída do Reino Unido da União Europeia).

As negociações entre o Reino Unido e a UE chegaram a um novo impasse neste fim de semana, dois dias antes do início, na quarta-feira, de um Conselho Europeu dedicado ao tema, devido à questão da fronteira entre a Irlanda e a província britânica da Irlanda do Norte.

O Reino Unido vai deixar a UE em 29 de março de 2019, dois anos após o lançamento oficial do processo de saída, e quase três anos depois do referendo de 23 de junho de 2016 que viu 52% dos britânicos votarem a favor do ‘Brexit’.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Caixa Geral de Dep—ositos -

Sete dos créditos de risco da CGD tiveram perdas de 100%

(Rui Oliveira / Global Imagens)

Quota de mercado dos carros a gasóleo cai para mínimos de 2003

Operadores da Groundforce onde a operação da empresa de ‘handling’ Groundforce inclui números como cinco minutos e 400 toneladas, mas também o objetivo de chegar ao fim de 2019 com 3.600 colaboradores, aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, 22 de janeiro de 2018. Para que os aviões estejam no ar, a Groundforce faz toda a assistência em terra, excetuando o fornecimento de comida e de combustível, como resume o presidente executivo da empresa, Paulo Neto Leite, numa visita guiada aos ‘bastidores’ do Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Com o aeroporto de Lisboa “no limite”, Groundforce exige à ANA que invista já

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Governo e parceiros sociais reúnem-se hoje com Conselho Europeu na agenda