comunicação social

Governo pede colaboração dos jornalistas para denunciar violência no desporto

Ministro da Educação . Fotografia: Maria João Gala / Global Imagens
Ministro da Educação . Fotografia: Maria João Gala / Global Imagens

O Sindicato dos Jornalistas foi recebido em audiência pelo ministro da Educação, para falar sobre violência no Desporto e Literacia Mediática.

O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, pediu a colaboração do Sindicato dos Jornalistas (SJ) para denunciar e combater a violência no desporto, anunciou esta terça-feira a estrutura sindical após uma audiência com o governante.

“Preocupado com o ambiente de crispação no desporto, nomeadamente no futebol, o ministro da Educação, que tutela também o Desporto, pediu a colaboração do SJ para denunciar e combater a violência e para fazer pontes com os jornalistas e os órgãos de informação no sentido de promover o exercício de um jornalismo responsável e de qualidade”, anunciou o sindicato em comunicado.

O SJ foi recebido em audiência por Tiago Brandão Rodrigues para falar sobre violência no Desporto e Literacia Mediática.

No encontro, o sindicato lembrou que já se reuniu com os órgãos de comunicação social, aos quais manifestou “a importância de uma posição conjunta em defesa da credibilidade do jornalismo, que não pode ser passivamente conivente com o atual estado de coisas” e voltou a exigir a intervenção da Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

O SJ realçou que o Desporto surge a par com a Educação, tendo “uma importante responsabilidade na formação dos mais jovens” e, por isso, lamentou que o futebol “esteja a servir para alimentar climas de ódio e perseguição, em vez de cumprir a sua importante função social”.

O sindicato tem reportado todos os casos de violência ou ameaça contra jornalistas às entidades competentes desde que a Assembleia da República aprovou uma alteração do Código Penal que passou a considerar crime público “as agressões a jornalistas no exercício das suas funções ou por causa delas” e que os jornalistas passaram a integrar a lista de profissões com direito a “proteção acrescida”.

O SJ considera que não são necessárias mais leis, sublinhando que “importa é monitorizar e fiscalizar a aplicação prática das já existentes e impor sanções aos que as transgridem, dentro ou fora dos recintos desportivos”.

Durante o encontro, Tiago Brandão Rodrigues confirmou ainda o apoio ao projeto de Literacia Mediática que o SJ apresentou ao Ministério da Educação no final do ano passado e “comprometeu-se a encontrar uma forma de o financiar, para que possa avançar já próximo ano letivo”, diz ainda o sindicato.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

1400 empresas já pediram para aderir ao novo lay-off, apoios só a 28 de abril

Antonoaldo Neves, presidente executivo da TAP. Fotografia: Adelino Meireles/Global Imagens

TAP também vai avançar com pedido de layoff

Veículos da GNR durante uma operação stop de sensibilização para o cumprimento do dever geral de isolamento, na Autoestrada A1 nas portagens dos Carvalhos/Grijó no sentido Sul/Norte, Vila Nova de Gaia, 29 de março de 2020. MANUEL FERNANDO ARAÚJO/LUSA

Mais de 80 detidos e 1565 estabelecimentos fechados

Governo pede colaboração dos jornalistas para denunciar violência no desporto