Digitalização

Governo pode poupar até 400 milhões com digitalização dos serviços

computer-1149148_1920

Os valores da poupança podem ascender quando incluídos também cidadãos e empresas.

O Estado português pode alcançar uma poupança entre 100 e 400 milhões de euros por ano ao digitalizar os seus serviços. A conclusão faz parte do estudo “Digital byDefault: Impacto Económico e Fatores de Sucesso”, apresentado esta terça-feira pela Porto Business School e pelo MUDA.

“Portugal tem potenciais poupanças esperadas de até 400 milhões de euros por ano, apenas do lado do Governo, sendo expectável um impacto muito mais significativo, quando incluídos também cidadãos e empresas”, afirmam as entidades em comunicado.

A estratégia “Digital byDefault” visa interligar Governo, empresas e cidadãos, permitindo que os serviços públicos estejam disponíveis online, prontos para dispositivos móveis e fáceis de usar.

Em Portugal, até julho de 2009, as iniciativas “Empresa na Hora”, “Marca na Hora” e “Registo Comercial Online” geraram poupanças de cerca de 54,6 milhões de euros e reduziram em 36 minutos o tempo médio necessário para criar uma nova empresa.

O estudo ilustra os benefícios potenciais desta transformação para a economia nacional, baseando-se em exemplos do Reino Unido, Estónia e Dinamarca. O Reino Unido economizou 3,3 mil milhões de libras esterlinas em 2015/2016 graças à sua estratégia “Digital by Default”. Já na Estónia, o uso de assinaturas digitais poupa ao país 2% do PIB por ano e a Dinamarca livrou-se completamente dos formulários em papel e 90% dos dinamarqueses usam a Internet para todas as transações.

Em novembro do ano passado, o MUDA apresentou o Plano de Ação “Digital By Default,” assente em três eixos: Comunicações Eletrónicas “by Default”; Digitalização dos arquivos e Implementação de ID eletrónico comum para o Estado e Empresas – a Chave Móvel Digital – agora também disponível para empresas.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Carlos Costa, Governador do Banco de Portugal

BES: Processos contra Banco de Portugal caem para metade

O primeiro-ministro, António Costa, gesticula durante o debate quinzenal na Assembleia da República, em Lisboa, 19 de março de 2019. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

António Costa: “Portugal vai continuar a crescer acima da média europeia”

Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/ LUSA

Rendas na energia: João Matos Fernandes encontrou “ambiente crispado”

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Governo pode poupar até 400 milhões com digitalização dos serviços