Turismo

Grandes eventos dão mais 3 milhões de euros ao alojamento local

(Filipe Amorim / Global Imagens)
(Filipe Amorim / Global Imagens)

Web Summit é a Paris Fashion Week de Lisboa: preços sobem e ocupação aumenta. Tem sido uma das datas a reter no calendário dos hosts portugueses.

Quando chega novembro, Lisboa cheira a agosto. Com a Web Summit, que se realiza na capital portuguesa desde 2016, o retalho, a restauração e o alojamento recebem um importante impulso que faz esquecer a época baixa. Para os proprietários de alojamento local, revela um estudo da GuestReady, esta é a ocasião mais importante do ano, mas, ao todo, se tiverem atenção à realização dos grandes eventos, os lisboetas poderão retirar mais três milhões de euros com a receção de turistas nos seus imóveis.

“A Web Summit, maior conferência de tecnologia da Europa, aparece como um evento especialmente relevante já que permite aos anfitriões ganhar mais 62% durante esta semana de novembro por comparação com uma semana normal daquele mês”, revela a gestora de propriedades de alojamento local.

Isto é, um imóvel em Lisboa, que em média custa 45 euros por noite, em novembro, vê o preço subir, em média, para 73 euros, com o aumento da procura por empreendedores e investidores internacionais que chegam para participar na mega-cimeira. Para uma estada média de cinco noites, o período mais habitual, recebem-se 140 euros adicionais.

Eventos com maior impacto no AL-01

“Desde que começou em 2016 a Web Summit tem sido um fenómeno em Lisboa trazendo cada vez mais visitantes de ano para ano. Esse aumento também se verifica no alojamento de curta duração que, aliás, é o preferido pelos visitantes da Web Summit: mais de metade escolhem esta modalidade”, destaca ao Dinheiro Vivo, Vanessa Vizinha, diretora-geral da GuestReady em Portugal.

Os eventos são cada vez mais relevantes para a ocupação dos imóveis e, “ao saber as datas-chave em que os visitantes estão a reservar em Lisboa, [os proprietários] podem otimizar os preços e promover a propriedade da melhor forma, garantindo assim uma boa taxa de ocupação”, destaca.

A Web Summit é o evento que proporciona a maior subida percentual no preço por noite dos alojamentos em Lisboa, mas não é o único. O Nos Alive, festival de verão, que acontece em julho, permite aumentar o preço por noite de 75 para 85 euros (13%). Já, no fecho do inverno, mostra a GuestReady, há outro evento de forte impacto nos alojamentos para turistas: a Meia Maratona de Lisboa. O evento que, este ano, junta profissionais e apaixonados pela corrida a 22 de março, permite que o preço por noite se fixe nos 60 euros, nos AL, quando em regra, o valor cobrado nesse período é de apenas 53 euros (+13%).

Ao todo, se tiverem atenção ao calendário, os hosts alfacinhas podem receber mais 3 milhões de euros, destaca Vanessa Vizinha, com base nos dados de 2019 mas que, destaca, “acabam por ser um instrumento de previsão para o ano que agora arranca”.

“Não fizemos este exercício para outras cidades portuguesas, mas no Porto por exemplo há sempre eventos que trazem muitos visitantes como o São João, NOS Primavera Sound, e este ano, a Final da Liga Europa será na Invicta o que terá, certamente, impacto”, acrescenta ainda a responsável.

Em mercados internacionais como Paris ou o Dubai, os impactos também estão medidos: “Entre os eventos com maior impacto no alojamento de curta duração estão o Dubai Jazz Festival e a Fashion Week de Paris”, destaca.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Joao Silva/ Global Imagens)

Preço das casas aumentou 1,7% em novembro

Kristalina Georgieva, diretora-geral do FMI. Fotografia: EPA/MICHAEL REYNOLDS

FMI corta crescimento dos maiores parceiros de Portugal: Espanha e Alemanha

Isabel dos Santos  EPA/TIAGO PETINGA

Isabel dos Santos: Angola escolheu um caminho em que “todos vão ficar a perder”

Grandes eventos dão mais 3 milhões de euros ao alojamento local