Indústria

Grandes marcas americanas querem calçado made in Portugal

Luís Onofre, presidente da APICCAPS. Fotografia: Maria João Gala / Global Imagens
Luís Onofre, presidente da APICCAPS. Fotografia: Maria João Gala / Global Imagens

APICCAPS pretende trazer a Portugal, em maio, 25 compradores dos EUA para conhecerem a indústria nacional.

A grande ofensiva comercial do calçado português em terras do Tio Sam já começa a dar frutos. Se não, ainda, ao nível do aumento das exportações, pelo menos em termos de procura da indústria nacional pelas grandes marcas americanas, como a Ralph Lauren,a Rag & Bone ou a Tape, entre outras, que já cá produzem as suas coleções. Um movimento que a APICCAPS pretende reforçar, estando a organizar uma missão de importadores dos EUA a Portugal no mês de maio.

“Estimamos que entre 20 a 25 compradores americanos venham a Portugal. Vêm alguns retalhistas que nós consideramos relevantes, mas nós vamos trazer também responsáveis de grandes marcas americanas que consideram que Portugal pode ser um mercado muito interessante para a produção dos seus sapatos. E ainda existem várias marcas americanas de calçado de muita relevância”, diz o diretor de comunicação da associação do calçado, Paulo Gonçalves. E até há casos, como a Coach, que são lideradas por portugueses.

O sector elegeu os Estados Unidos como a “prioridade estratégica” para a próxima década, onde pretende duplicar as exportações e atingir os 150 milhões de euros. Mas, este ano, a conjuntura internacional não ajudou e as exportações caíram 2,45% para 70,3 milhões de euros. “Um ano é muito pouco, este é um trabalho de longo prazo”, diz Luís Onofre, presidente da APICCAPS. A guerra comercial dos EUA com a China também não ajuda, sendo mais um fator de instabilidade a juntar aos efeitos do brexit e à retração económicas em mercados como o alemão e francês. “Resta-nos trabalhar muito a comunicação. Se os industriais demonstrarem que têm capacidade de reação ao mercado, a consolidação vira”, acredita Luís Onofre.

Paulo Gonçalves destaca a importância, ainda, de Portugal se mostrar, em força, na próxima edição da Magic, a feira de calçado de Las Vegas, onde, o verão passado, estiveram 18 empresas, mas que, nesta última edição, que decorreu a semana passada, já só teve seis participantes. “Gostaríamos muito de ter 10 a 15 empresas em agosto”, admite o diretor de comunicação da APICCAPS. Que aponta o destaque dado a Portugal pela revista norte-americana Footwear News na sua edição de fevereiro. “O facto de eleger Portugal como o grande destino de produção de calçado de gama média e alta e com grande qualidade ao nível do serviço também foi fundamental”, garante Paulo Gonçalves, sublinhando que os industriais “estão a fazer o seu trabalho de casa”.

*em Milão

A jornalista viajou a convite da APICCAPS

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O ministro da Economia, Pedro Siza Vieira (E), e a ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D). Fotografia: ANTÓNIO COTRIM/LUSA

Governo deixa cair referencial geral para aumento de salários

Elisa Ferreira, António Costa. Fotografia: Álvaro Isidoro/Global Imagens

Elisa Ferreira. Minas de lítio têm de “compensar impacto ambiental”

Iberdrola

Iberdrola investe 200 milhões em projetos eólicos no Alto Tâmega

Grandes marcas americanas querem calçado made in Portugal