Saúde

Grécia espera investimentos milionários de canábis medicinal

mercado de canábis medicinal chegue aos três mil milhões de euros

Há 1,5 mil milhões de euros em projetos previstos para os próximos anos. Grécia quer legalizar plantação até final do ano

A plantação de canábis medicinal pode dar um forte impulso à economia da Grécia. Há 1,5 mil milhões de euros em projetos previstos para os próximos anos, através da construção de estufas para cultivo e produção de canábis, adiantou o ministro da Agricultura, Evangelos Apostolou, em entrevista dada esta terça-feira à Bloomberg. Prevê-se que o mercado de canábis artificial valha 200 mil milhões de euros nos próximos 10 anos.

Um conjunto com 12 a 15 estufas de plantação de canábis poderá criar pelo menos 400 empregos, segundo o grupo de trabalho criado para legalizar o cultivo da canábis com fins medicinais no país. O clima quente e a elevada exposição solar são os principais elementos que favorecem a escolha da Grécia para este tipo de cultivo.

O Governo de Alexis Tsipras quer votar a legalização da plantação de canábis medicinal até ao final deste ano, para que as primeiras colheitas possam ser feitas no verão de 2018, segundo o grupo de trabalho.

A Grécia apenas admite a legalização da canábis com fins medicinais, ao contrário do que acontece no Uruguai e em alguns estados norte-americanos: “milhares de gregos com membros da família a sofrerem doenças graves como cancro ou Parkinson poderão obter droga produzida no país, debaixo das regras da Organização Mundial da Saúde (OMS)”, referiu o ministro da Agricultura.

O uso de canabinoides ajuda a reduzir as náuseas e vómitos causados em fases avançadas de doenças como cancro e Sida, segundo a OMS.

Portugal também deverá beneficiar do cultivo da canábis medicinal. O grupo canadiano Tilray anunciou em setembro um investimento de 20 milhões de euros numa unidade de produção em Cantanhede. Nesta zona serão criados 100 postos de trabalho.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Indústria do calçado. 
Fotografia: Miguel Pereira/Global Imagens

Portugal regressou ao Top 20 dos maiores produtores de calçado

Sonae Industria

Ações da Sonae Indústria e da Sonae Capital disparam após OPA da Efanor

Alexandre Meireles, presidente da ANJE. Fotografia:  Igor Martins / Global Imagens

ANJE teme que 2021 traga “grande vaga” de falências e desemprego

Grécia espera investimentos milionários de canábis medicinal