Greve da CP vai em frente. Empresa e maquinistas não chegaram a acordo

Carruagens vendidas sob investigação
Carruagens vendidas sob investigação

A greve dos maquinistas da CP vai mesmo em frente. A empresa e o sindicato, mais uma vez, não chegaram a acordo e dia 1 de Janeiro os comboios vão voltar a circular mais devagar.

A porta-voz da CP,
Ana Portela, explicou ontem ao “Dinheiro Vivo” que a reunião foi
solicitada pelo sindicato à administração da empresa, para discutirem as divergências que levaram o
sindicato a
marcar uma série de greves que começaram, nos passados dias 23,24 e 25
de Dezembro e que continuam no próximo dia 1 de Janeiro de 2012. Mas de
facto não surtiu efeitos.

O acordo parece não estar à vista. O sindicato dos maquinistas marcou vários períodos de greve para os dias
23, 24 e 25 de Dezembro que levaram a prejuízos de 2,5 milhões de euros já que entre a meia-noite de sexta-feira e as 12h00 de segunda-feira, foram cancelados 2.702 comboios devido à greve, afirma a Lusa.

Também estão marcadas paralisações ao trabalho
extraordinário até ao final do mês de Janeiro do próximo ano.

O conselho de administração da CP lamentou, entretanto, que o sindicato dos maquinistas tenha mantido a greve do primeiro dia do ano e às horas extraordinárias durante o mês de Janeiro.

“O conselho de administração lamenta que o sindicato não tenha reconsiderado a sua posição”, afirmou a porta-voz da empresa, Ana Portela, aos jornalistas no final da reunião que decorreu esta tarde com o Sindicato Nacional dos Maquinistas.

A próxima paralisação é já no dia 1 de Janeiro.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
coronavirus lay-off trabalho emprego desemprego

Empresas com quebras de 25% vão poder pedir apoio à retoma

Balcão da ADSE na Praça de Londres em Lisboa.

( Jorge Amaral/Global Imagens )

ADSE quer 56 milhões do Orçamento do Estado por gastos com isentos

Fotografia: Miguel Pereira / Global Imagens

Quase 42 mil empresas recorreram a apoios que substituíram lay-off simplificado

Greve da CP vai em frente. Empresa e maquinistas não chegaram a acordo