Greve dos Estivadores

Greve de estivadores em Sines causa quebras de 25%

Porto de Sines
Porto de Sines

Quebra representa nove milhões de euros. Fonte oficial da concessionária do porto de Sines afirma que queda possa acentuar-se até final do ano.

O Sindicato XXI, uma estrutura sindical independente dos estivadores, está desde maio em greve às horas extraordinárias. Nas últimas semanas uma nova greve foi decretada a três horas de trabalho por cada turno de trabalhos dos estivadores. A paralisação tem tido efeitos no terminal de contentores do porto de Sines, já que fonte oficial da sua concessionária, PSA de Singapura, garantiu ao Jornal Económico que as mercadorias movimentadas até ao momento estão a a sofrer uma quebra de 25% face ao período homólogo de 2018. Em termos de receitas, significa nove milhões de euros.

A concessionária prevê que a queda se possa agravar até ao fim do ano e garantiu, ao mesmo jornal, que terá de despedir “pelo menos uma centena de estivadores”.

“Entre o início do ano e finais de julho, deveriam ter sido movimentados no Terminal XXI cerca de 1,1 milhões de TEU [medida-padrão equivalente a contentores com 20 pés de comprimento]. Infelizmente, e com um contributo significativo das três greves que tivemos até agora, apenas foram movimentados 800 mil TEU”, lamentou fonte oficial da PSA, citada pelo jornal.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

Foto: Paulo Spranger (Global/Imagens)

Fisco deteta erro em 10.000 declarações de IRS e exige devolução de 3,5 milhões

João Cadete de Matos, presidente da Anacom

Fotografia: Vítor Gordo/D.R.

Anacom “considera essencial” redução de preços no acesso à Internet

Outros conteúdos GMG
Greve de estivadores em Sines causa quebras de 25%