Infraestruturas de Portugal

Greve de quinta-feira no Metro de Lisboa suspensa

FOTO MANUEL MOURA/LUSA
FOTO MANUEL MOURA/LUSA

Greve agendada para esta quinta-feira foi suspensa depois da reunião com a tutela, avançou a FECTRANS.

A greve no Metro de Lisboa, agendada para quinta-feira, foi suspensa na sequência de uma reunião com a tutela, disse esta segunda-feira a Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (FECTRANS).

A dirigente da FECTRANS Anabela Carvalheira afirmou, em declarações à agência Lusa, que foram assumidos compromissos que vão ao encontro das exigências dos trabalhadores numa reunião realizada na quinta-feira, que contou com a presença do ministro do Ambiente, do secretário de Estado, que têm a tutela dos transportes, e do presidente do Metropolitano de Lisboa.

A responsável adiantou ainda que foi acordado que até ao final do mês de maio serão abertos concursos “para a contratação de 23 trabalhadores para a área de manutenção e 30 trabalhadores para a área das estações”.

Anabela Carvalheira alertou que os sindicatos continuarão “atentos e vigilantes”, acrescentando que serão tomadas medidas que defendam os direitos e garantias dos trabalhadores do metro “caso não se concretizem os compromissos assumidos”.

No passado dia 26 de março, os sindicatos entregaram um pré-aviso de greve ao Ministério do Ambiente e à empresa com antecedência de modo a que ainda fosse possível encontrar uma solução que levasse à “não realização da greve”.

Os pressupostos deste pré-aviso de greve, entretanto suspensa, têm a ver com a contratação de mais trabalhadores e com aumentos salariais que, segundo a FECTRANS, não acontecem desde 2009.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A ministra do Trabalho, Ana Mendes Godinho (D), e o secretário de Estado do Emprego, Miguel Cabrita (E). Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Salário mínimo de 635 euros? Dos 617 dos patrões aos 690 euros da CGTP

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

concertação

Governo sobe, sem acordo, salário mínimo até 635 euros em 2020

Outros conteúdos GMG
Greve de quinta-feira no Metro de Lisboa suspensa