Black Friday

Black Friday. A sexta-feira preferida dos piratas informáticos

Artur Machado / Global Imagens
Artur Machado / Global Imagens

Segundo a responsável, na época natalícia "quase toda a gente está mais exposta e com menos tempo para pensar e verificar" as questões de segurança

As lojas já começaram a anunciar os descontos, que podem chegar aos 50%. Mas se a Black Friday é um dos dias mais esperados pelos consumidores para fazer compras, também é uma das datas prediletas dos piratas informáticos.

Segundo um relatório da Kapersky Lab, a Black Friday e a Ciber Monday, que se realiza na segunda-feira seguinte, são os dias do ano com mais ataques de phishing financeiro.

“O aumento do número de pessoas que utiliza métodos de pagamento, compras ou acede às suas contas bancárias online mostram-nos que os ataques de phishing financeiro são agora uma constante durante todo o ano, mas a época festiva torna-os mais fáceis de camuflar no meio do ruído”, alerta Nadezhda Demidova, analista líder de conteúdo Web da Kaspersky Lab, em comunicado.

Segundo a responsável, na época natalícia “quase toda a gente está mais exposta e com menos tempo para pensar e verificar” as questões de segurança.

A empresa de cibersegurança aconselha os consumidores a fazer compras no dia seguinte, o chamado “Grey Saturday”.

“No “Grey Saturday”, o número de ataques diminui significativamente. Os fins de semana geralmente têm um menor número de ataques e menos pessoas online, mas neste dia de muitas compras, essa é uma vantagem adicional. Acreditamos que esta tendência de 2016 irá continuar em 2017”, explica a mesma responsável.

No ano passado, o número de ataques de phishing financeiro aos websites de marcas de retalho caiu 33% no sábado após a Black Friday.

O phishing financeiro já corresponde a metade (49,77%) da totalidade dos ataques deste tipo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

Lisboa. MÁRIO CRUZ/LUSA

Défice externo até julho agrava-se para 1633 milhões de euros

EDP. (REUTERS/Eloy Alonso)

Concorrência condena EDP Produção a multa de 48 milhões

Outros conteúdos GMG
Black Friday. A sexta-feira preferida dos piratas informáticos