Imobiliário

Grupo Martinhal constrói escola no terreno da antiga Universidade Independente

Foto:  NUNO FOX
Foto: NUNO FOX

O Grupo Martinhal comprou o terreno da antiga Universidade Independente por cerca de 15 milhões de euros

O Grupo Martinhal comprou o terreno da antiga Universidade Independente, no Parque das Nações, Lisboa, por cerca de 15 milhões de euros, para avançar com uma escola internacional, foi hoje divulgado à agência Lusa.

Responsável pela assessoria jurídica neste negócio, a PLMJ Advogados precisou que a “aquisição do terreno foi na ordem dos 15 milhões” e que a “compra deste ativo insere-se num montante de investimento na área do Parque das Nações que ronda os 130 milhões”.

“O Grupo Martinhal aposta numa estratégia de expansão e diversificação ao construir uma escola internacional que cobre todo o ciclo de ensino (do 1.º ao 12.º ano escolar) com capacidade para 800 a 900 alunos, a abrir no ano letivo de 2019/2020”, lê-se no comunicado do escritório de advogados.

Citada no mesmo comunicado, Sara Blanco de Morais, sócia de PLMJ Urbanismo, referiu que a “operação implicou a gestão da compra do ativo territorial, o acompanhamento da operação urbanística e planeamento do projeto de arquitetura que se encontra ainda a decorrer”.

O comprador do terreno da avenida Marechal Gomes da Costa detém ainda projetos na área da hotelaria, como o Martinhal Resort em Sagres, o Martinhal Chiado e Martinhal da Quinta do Lago.

A Universidade Independente foi encerrada em 31 de outubro de 2007 na sequência de dois processos: um de caducidade de reconhecimento de interesse público e outro de encerramento compulsivo por manifesta degradação pedagógica.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
boris johnson brexit

Brexit: Um acordo que responde “às circunstâncias únicas da Irlanda”

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Álvaro Santos Pereira, ex-ministro da Economia, na comissão de inquérito do Parlamento sobre as rendas excessivas da eletricidade, Fotografia: MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Álvaro Santos Pereira ataca “corporativismo” de notários, advogados e arquitetos

Outros conteúdos GMG
Grupo Martinhal constrói escola no terreno da antiga Universidade Independente