património

Grupo de trabalho vai atualizar informação sobre património imóvel classificado

Casas no centro histórico entre as mais caras

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) criou um grupo de trabalho para atualizar a informação sobre o património imóvel classificado.

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) criou um grupo de trabalho para atualizar a informação sobre o património imóvel classificado de âmbito nacional, respetiva propriedade e tipo de uso, publica hoje o Diário da República (DR).

No despacho n.º 12454/2016 publicado na 2.ª série do DR de hoje, assinado pela diretora-geral do património, Paula Araújo da Silva, é descrito o objetivo e missão deste grupo, que ao fim de um ano deverá apresentar um documento de síntese.

O objetivo da criação do grupo – que reúne especialistas da DGPC, das Direções Regionais de Cultura e da Direção-Geral do Tesouro e Finanças – é “a atualização da informação do património imóvel classificado de âmbito nacional relativamente à respetiva propriedade e afetação”.

Ainda segundo o despacho, o grupo de trabalho irá delimitar o âmbito do património imóvel classificado a partir do sistema de informação da DGPC, caracterizar e avaliar os dados existentes sobre o património imóvel classificado quanto à propriedade e a afetação naquele sistema de informação, identificar a propriedade e a afetação do património imóvel classificado em colaboração com a Direção-Geral do Tesouro e Finanças e com as Direções Regionais de Cultura, atualizando a informação naquele organismo público que tutela o património.

O grupo de trabalho vai ser composto por Deolinda Folgado, chefe da Divisão do Património Imóvel, Móvel e Imaterial (DPIMI/DGPC), que coordena, Paulo Duarte, técnico superior/arquiteto (DPIMI), Sílvia Leite, técnica superior/historiadora da arte (DPIMI), e Filipe Serra, técnico superior/jurista, do gabinete da direção (DGPC).

Também vão integrar este grupo, além de um representante da Direção-Geral do Tesouro e Finanças – cujo nome não é mencionado no despacho – representantes das direções regionais de cultura: Norte — Jorge Manuel Costa — técnico superior/arquiteto, Centro — Isabel Policarpo — técnica superior/historiadora, Alentejo — Hugo Porto — técnico superior/jurista, Algarve — Rui Parreira — diretor de serviços dos Bens Culturais.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Restaurante em Vila Real de Santo António. (LUÍS FORRA / LUSA)

Destruição de emprego na pandemia é toda à custa de trabalhadores mais pobres

A fábrica de bicicletas RTE, é uma das maiores exportadoras de bicicletas da Europa. Retomou a produção em maio depois da paragem em março e abril. (Rui Oliveira/Global Imagens)

Portugal foi o maior produtor de bicicletas da UE em 2019

XI JINPING

Presidente chinês ordena fim de banquetes tradicionais para combater desperdício

Grupo de trabalho vai atualizar informação sobre património imóvel classificado