Alojamento local

GuestReady tem portefólio de 51 milhões e 30 empregados em Portugal

Alexander Limpert é co-fundador da GuestReady
Alexander Limpert é co-fundador da GuestReady

GuestReady gere 200 alojamentos em Portugal e só no Porto quer ter mais 130 até final do ano. Portefólio vale 51 milhões de euros

Querem oferecer um serviço de hotel, disponível 24 horas por dia e com atenção ao pormenor. O perfil do proprietário português – os hosts como são chamados no mundo do alojamento local – é traçado por Alexander Limpert, CEO e co-fundador da GuestReady, gestora de alojamentos para turistas que opera em vários países do mundo, bem como em Portugal. Os portugueses, conta ao Dinheiro Vivo, “esforçam-se por garantir que todos os detalhes estão assegurados para que os hóspedes tenham uma óptima experiência durante a sua estadia”.

Em apenas três anos, a startup de gestão de alojamento para turistas garantiu um portefólio imobiliário avaliado em cerca mil milhões de euros. Em Portugal, onde opera há apenas um ano, contam-se mais de 200 propriedades com um valor de mercado que ronda os 51 milhões de euros, avança o responsável. Portugal está na lista dos países onde a GuestReady está a crescer mais depressa e, em 12 meses de operação, as reservas feitas nos alojamentos que administra representaram 6,68 milhões de dólares, à volta dos 6,05 milhões de euros.

O Porto tem sido uma boa surpresa. “Lançámos operação no Porto em outubro de 2018 seguindo a indicação do António Fragateiro, da GuestReady Portugal. E, logo depois, em dezembro, adquirimos os Oporto City Flats. Estamos a testemunhar um crescente interesse dos investidores no Porto. A cidade foi aclamada como o terceiro hub tecnológico que mais cresce e a cidade mais amiga das startups na Europa. No final do ano queremos ter a gestão de 130 alojamentos só no Porto”, destaca Alexander Limpert.

E não é só a Invicta. “O mercado imobiliário português não para de crescer”, reconhece o responsável, lembrando que a Bloomberg considerou Portugal como o País com o imobiliário “mais quente da Europa” e, por isso, chamariz de investidores de todo o mundo.

Limpert, que já conta com uma equipa de 30 pessoas no mercado português, não revela se está a preparar a entrada da GuestReady noutras cidades do País. Acrescenta, porém, que “ainda há muitas oportunidades para crescer em Portugal através da aquisição de novas propriedades em Lisboa e Porto”. E nem as zonas de contenção de Fernando Medina parecem ser um obstáculo: “Os nossos hóspedes procuram ‘viver como um local’ e, ao limitar o número de espaços para alojamento de curta duração a turistas, os turistas podem continuar a beneficiar da sua experiência”, afirma. “Tem tudo a ver com manter o equilíbrio entre o número de turistas e de locais que vivem na área. É uma iniciativa bem-vinda.”

A gestora oferece um serviço de chave na mão. A ideia nasceu em 2016 como tantas outras startups: a partir de uma necessidade pessoal. “Foi a minha experiência na primeira pessoa, enquanto anfitrião do Airbnb, que me inspirou a criar um serviço que simplificasse o processo de aluguer. Comecei a estudar a forma como o software podia ajudar a reduzir o tempo gasto a listar as propriedades em vários sites, a gerir os check-ins e check-outs dos clientes, a limpar e a manter a propriedade, mantendo ao mesmo tempo um serviço cinco estrelas para proprietários e clientes”, conta o responsável de 33 anos. Desde então a empresa tem crescido e, neste momento conta já com 150 funcionários.

O crescimento também se fez através de aquisições, como a que aconteceu com a Oporto City Flats no Porto. E, em junho, Limpert fechou um investimento de seis milhões de dólares liderada pelo Impulse VC, o fundo de capital de risco do multimilionário dono do Chelsea, Roman Abramovich.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Restaurante de praia 
 Maré at Pine Cliffs 
(Maria João Gala /Global Imagens)

Pandemia faz disparar desemprego, mas verão alivia alguns setores

(JOSÉ COELHO/LUSA)

Cadeias de retalho contra desfasamento de horários. Aguardam publicação da lei

hipermercadocontinente-10-512c7deb70a7ca55484e2abb8c98e447c8dae639

Banco de Horas.Depois do não adiamento, Continente e Fnac avançam para referendo

GuestReady tem portefólio de 51 milhões e 30 empregados em Portugal