Investimento

“Há 10 mil empresas às quais a AICEP não está a chegar”

A aposta no digital poderá dar resposta a esse desafio, acredita Luís Castro Henriques, que acaba de anunciar 1 milhão de euros de investimento nesta área.

A aposta no digital faz parte da nova estratégia da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP) para 2017-19, com o objetivo de “criar maior interação das empresas com a AICEP. Assim, vamos ter de implementar sistemas de gestão do conhecimento e há um investimento já a avançar no valor de 1 milhão de euros a decorrer nos próximos 18 meses”. A AICEP quer reforçar a proximidade e apoio às empresas, em particular às PME.

Hoje há 13 mil empresas portuguesas e estrangeiras que são acompanhadas pela AICEP. “Destas, há um universo de 1200 com forte pendor de investimento, mais 2000 com perfil de internacionalização e mais dez mil que exportam de forma regular”. De acordo com o INE, há 23 mil as empresas com perfil exportador e “portanto há dez mil empresas às quais a AICEP não está a chegar”, admite o presidente, “daí a necessidade da aposta digital”, remata.

A aposta hoje anunciada levará a “uma alteração estrutural de procedimentos na AICEP, criando um canal de informação e de serviço digital, permitindo alargar a base de clientes e servi-los melhor, fornecer novos serviços como o e-learning e, por exemplo, permitir fazer simulações online dos custos de internacionalização para uma empresa”.

Também o modelo comercial sofrerá alterações. Hoje há sete lojas de exportação espalhadas pelo país “e que passarão a fazer também angariação de empresas para a exportação, aprofundando o conhecimento do tecido empresarial regional e identificando oportunidades, prestando o serviço de forma mais próxima”, revela Luís Castro Henriques.

Academia da internacionalização

Para fomentar a internacionalização das PME será ainda criado um programa de apoio, “que passa pela incubação e aceleração, como se faz por exemplo para as startups”. Um pilar que será reforçado com formação especializada e personalizada, assim como com a criação de parcerias com universidades que permitirão lançar programas de formação avançada, “numa lógica de academia da internacionalização”.

A estratégia completa-se com um programa de cross-selling para promover a imagem de Portugal, organizar missões para captação de investimento, reativar o Conselho Consultivo da AICEP e dinamizar as exportações online de produtos lusos, nos mercados internacionais. “O comércio online é uma realidade incontornável, Portugal não se pode atrasar e a AICEP deve tomar a dianteira”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Fernão de Magalhães

Quem pagou a expedição planetária de Magalhães? Um investidor vindo de Portugal

Fernão de Magalhães

Quem pagou a expedição planetária de Magalhães? Um investidor vindo de Portugal

Maria João Gala / Global Imagens

Centeno aponta margem de 200 milhões para aumentos na Função Pública

Outros conteúdos GMG
“Há 10 mil empresas às quais a AICEP não está a chegar”