Mercado de Trabalho

Há menos desempregados face a 2008 mas as taxas são iguais. Saiba porquê

IEFP registou 15 643 ofertas de emprego em maio

Taxa de desemprego atual iguala novembro de 2008, mas há agora menos 17,7 mil sem trabalho.

O Instituto Nacional de Estatística (INE) reviu, na última sexta-feira, em baixa de 0,2 pontos percentuais a taxa de desemprego de julho para 8,9%, o valor mais baixo desde novembro de 2008, estimando para agosto a manutenção do mesmo valor. Apesar de a taxa ser igual à verificada em novembro de 2008, os 8,9% agora apurados equivalem a menos 17,7 mil desempregados comparativamente aos números de há nove anos.



Recuando a novembro de 2008, o número de desempregados era 479,1 mil, sendo que o valor estimado para agosto é de 461,4 mil, isto é, menos 17,7 mil para a mesma taxa apurada no espaço de quase uma década. A explicação reside no conceito de taxa: trata-se da relação entre o número de desempregados e a população ativa. Ora, esta última diminuiu em cerca de 355 mil pessoas entre 2008 e a atualidade, tornando possível que a um diferente número de pessoas sem trabalho corresponda a mesma taxa de desemprego.

A estimativa provisória da população desempregada representa um aumento de 0,4% (1,8 mil) em relação ao mês anterior (julho de 2017) e diminuído 2,6% (12,4 mil) face ao observado três meses antes (maio de 2017).

Quanto ao valor apurado para julho, este representa uma descida em 0,2 pontos percentuais face ao mês anterior e menos 0,6 pontos percentuais em relação a três meses antes, sinaliza o INE.
Já a estimativa provisória da população empregada foi de 4,697,8 milhões de pessoas, tendo diminuído 0,1% (5,1 mil) face ao mês anterior (julho de 2017) e aumentado 0,5% (25,4 mil) em relação a três meses antes (maio de 2017), sinaliza o INE.

De acordo com o INE, em agosto, a taxa de desemprego das mulheres (9,4%) excedeu a dos homens (8,5%) em 0,9 pontos percentuais, tendo-se a primeira mantido inalterada face ao mês anterior e a segunda aumentado 0,1 pontos percentuais.

A taxa de desemprego dos jovens situou-se em 24,6% e aumentou 1,6 pontos percentuais em relação ao mês precedente. Já a taxa de desemprego dos adultos foi de 7,7% e diminuiu 0,1 pontos percentuais em relação àquele mês.

O bom desempenho de Portugal no combate ao desemprego é confirmado pelos números, mesmo quando é feita uma comparação europeia. O desemprego em Portugal atingiu o seu pico em 2013, com um total de 855 mil desempregados. Usando aquele ano como ponto de partida, constata-se que em 2016 já havia menos 284 mil pessoas sem trabalho. Uma queda de 33%, marca só superada pela Irlanda (-39%) e acima de Espanha (-26%) e Grécia (-15%). A média da Zona Euro foi de menos 16%.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
José Vieira da Silva, ministro do Trabalho, e Mário Centeno, das Finanças. Fotografia: Mário Cruz/Lusa

Salário mínimo português é o nono mais baixo da Europa em poder de compra

Mario Draghi, presidente do Banco Central Europeu.  (EPA/RONALD WITTEK)

Compras do BCE chegam ao fim. Portugal ficou no fundo da lista

casas de lisboa

Moody’s. Há risco de irrealismo no preço das casas em Lisboa e Porto

Outros conteúdos GMG
Conteúdo TUI
Há menos desempregados face a 2008 mas as taxas são iguais. Saiba porquê