exportações

“Há muito trabalho a fazer” para exportações atingirem 50% do PIB

Secretário de Estado da Internacionalização realçou que é preciso trabalhar em particular com as PME para poder alargar a base do setor exportador.

O secretário de Estado da Internacionalização reconheceu hoje que há “muito trabalho a fazer” para atingir a meta definida pelo Governo de as exportações representarem 50% do Produto Interno Bruto (PIB) no início da próxima década.

“A evolução durante esta legislatura levou as exportações de uma base de 40% do PIB a praticamente 44% do seu peso no PIB”, disse o governante, durante o lançamento da plataforma tecnológica Portugal Exporta, da AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal.

Para chegar aos 50% do PIB do país, Eurico Brilhante Dias diz ser necessário “continuar a fazer das exportações um dos motores fundamentais do crescimento económico em Portugal” e aponta que, no futuro próximo, as exportações “terão que continuar a crescer 2 a 2,5% acima do crescimento do PIB”.

O secretário de Estado da Internacionalização realçou ainda que é preciso continuar a trabalhar em particular com as pequenas e médias empresas para poder alargar a base do setor exportador, objetivo para o qual a nova plataforma tecnológica da AICEP também irá ajudar, gerando “novos produtos de informação de mercado e novas ferramentas para a capacitação empresarial”.

Na abertura da cerimónia, o presidente da AICEP, Luís Castro Henriques, disse que este era o “dia D” de digital, adiantando que, para ajudar as empresas portuguesas a exportar mais, esta nova ferramenta tem implicações “muito grandes” até no ‘modus operandi’ da agência.

“A AICEP a partir de agora, através de inteligência artificial, apresenta uma plataforma nova aos seus clientes que vai permitir começarmos a servir do ponto de vista digital as nossas empresas e associações de forma muito mais personalizada e segmentada”, explicou.

A plataforma Portugal Exporta foi apresentada por João Paulo Dias, administrador executivo da AICEP, que disse que este é “o primeiro andar da nova casa digital” que a agência está a construir.

“Hoje abrimos o primeiro andar para as exportações e gradualmente vamos abrindo os outros andares”, descreveu, adiantando que a plataforma terá uma área pública e uma área privada para as empresas, que terão de se registar.

O Portugal Exporta, hoje apresentado em Ílhavo, parte da recolha de grande volume de dados para fazer junção entre empresas e oportunidades de negócio no exterior, encontrar parceiros e os melhores negócios em cada mercado, bem como desenvolver ações comerciais e planos para internacionalização.

O primeiro setor em foco foi o do calçado e o próximo será o dos têxteis/lar. No prazo de um ano, todos os setores da economia portuguesa estarão cobertos.

Após o lançamento do Portugal Exporta, serão lançados os restantes pilares da Transformação Digital da AICEP: Um portal dedicado ao investimento, o Business Match Making, que ficou conhecido como o “Tinder” das empresas, o Acelerador da Internacionalização Online e o Otimizador do Investimento.

Todas estas novas ferramentas decorrem de medidas Simplex, aprovadas pelo Governo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
António Costa visita casas em construção. Fotografia: RODRIGO ANTUNES/LUSA

Aviões puxam pelo investimento, bancos e construção amortecem recessão

Entrevista a Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal.
(Carlos Manuel Martins/Global Imagens)

Luís Araújo: “A nossa maior concorrência não é um país. É o medo”

Fotografia: D.R.

Teletrabalho continua obrigatório para grupos de risco e pais sem escola

“Há muito trabalho a fazer” para exportações atingirem 50% do PIB