exportações

“Há muito trabalho a fazer” para exportações atingirem 50% do PIB

Secretário de Estado da Internacionalização realçou que é preciso trabalhar em particular com as PME para poder alargar a base do setor exportador.

O secretário de Estado da Internacionalização reconheceu hoje que há “muito trabalho a fazer” para atingir a meta definida pelo Governo de as exportações representarem 50% do Produto Interno Bruto (PIB) no início da próxima década.

“A evolução durante esta legislatura levou as exportações de uma base de 40% do PIB a praticamente 44% do seu peso no PIB”, disse o governante, durante o lançamento da plataforma tecnológica Portugal Exporta, da AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal.

Para chegar aos 50% do PIB do país, Eurico Brilhante Dias diz ser necessário “continuar a fazer das exportações um dos motores fundamentais do crescimento económico em Portugal” e aponta que, no futuro próximo, as exportações “terão que continuar a crescer 2 a 2,5% acima do crescimento do PIB”.

O secretário de Estado da Internacionalização realçou ainda que é preciso continuar a trabalhar em particular com as pequenas e médias empresas para poder alargar a base do setor exportador, objetivo para o qual a nova plataforma tecnológica da AICEP também irá ajudar, gerando “novos produtos de informação de mercado e novas ferramentas para a capacitação empresarial”.

Na abertura da cerimónia, o presidente da AICEP, Luís Castro Henriques, disse que este era o “dia D” de digital, adiantando que, para ajudar as empresas portuguesas a exportar mais, esta nova ferramenta tem implicações “muito grandes” até no ‘modus operandi’ da agência.

“A AICEP a partir de agora, através de inteligência artificial, apresenta uma plataforma nova aos seus clientes que vai permitir começarmos a servir do ponto de vista digital as nossas empresas e associações de forma muito mais personalizada e segmentada”, explicou.

A plataforma Portugal Exporta foi apresentada por João Paulo Dias, administrador executivo da AICEP, que disse que este é “o primeiro andar da nova casa digital” que a agência está a construir.

“Hoje abrimos o primeiro andar para as exportações e gradualmente vamos abrindo os outros andares”, descreveu, adiantando que a plataforma terá uma área pública e uma área privada para as empresas, que terão de se registar.

O Portugal Exporta, hoje apresentado em Ílhavo, parte da recolha de grande volume de dados para fazer junção entre empresas e oportunidades de negócio no exterior, encontrar parceiros e os melhores negócios em cada mercado, bem como desenvolver ações comerciais e planos para internacionalização.

O primeiro setor em foco foi o do calçado e o próximo será o dos têxteis/lar. No prazo de um ano, todos os setores da economia portuguesa estarão cobertos.

Após o lançamento do Portugal Exporta, serão lançados os restantes pilares da Transformação Digital da AICEP: Um portal dedicado ao investimento, o Business Match Making, que ficou conhecido como o “Tinder” das empresas, o Acelerador da Internacionalização Online e o Otimizador do Investimento.

Todas estas novas ferramentas decorrem de medidas Simplex, aprovadas pelo Governo.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
Trump Xi China

Trump ameaça Pequim e ordena às empresas: “saiam da China”

Emmanuel Macron, presidente francês. Fotografia: Direitos Reservados

Fogos na Amazónia: França e Irlanda ameaçam bloquear acordo com Mercosul

O ministro do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, intervém durante uma conferência de imprensa para fazer o ponto de situação sobre a crise energética, no Ministério do Ambiente e da Transição Energética, em Lisboa, 13 de agosto de 2019. JOÃO RELVAS / LUSA

Ministro do Ambiente: “Há cada vez mais condições” para que greve não aconteça

Outros conteúdos GMG
“Há muito trabalho a fazer” para exportações atingirem 50% do PIB