Turismo

Hotel Turismo da Guarda. Custou 3,5 milhões ao Estado e agora ninguém o quer

O Hotel Turismo da Guarda prepara-se para iniciar uma nova vida. Fotografia: D.R.
O Hotel Turismo da Guarda prepara-se para iniciar uma nova vida. Fotografia: D.R.

Turismo de Portugal comprou hotel por 3,5 milhões em 2011 mas este ficou votado ao abandono. Agora processo de venda falhou e de arrendamento também

A segunda tentativa de colocar o Hotel Turismo da Guarda no mercado voltou a falhar, depois da única empresa admitida ao processo ter recuado à última da hora por “não concordar com os termos fixados no concurso em agosto de 2015”, segundo revelou agora ministério da Economia.

Este hotel, um dos edifícios emblemáticos da Guarda, custou 3,5 milhões de euros ao Turismo de Portugal em 2011, que o comprou com o intuito de instalar uma escola de Hotelaria e Turismo no edifício, avaliando o investimento necessário em 12 milhões de euros. Contudo, e desde a data dessa compra, nada foi feito, tendo a infraestrutura continuado a deteriorar-se e a ser alvo de atos de vandalismo, conforme chegou a denunciar Santinho Pacheco, deputado socialista pelo círculo da Guarda. O Estado decidiu-se então pela venda.

O Hotel Turismo da Guarda foi inicialmente colocado à venda por 1,7 milhões de euros, num concurso lançado em abril de 2015 que ficou deserto. Posteriormente, em agosto do mesmo ano, a direção-geral do Tesouro e Finanças (DGTF) abriu um novo processo, agora visando o arrendamento do espaço com opção de compra.

De acordo com as condições deste segundo concurso, o mesmo exigia a instalação de um empreendimento turístico ou hoteleiro no edifício “pelo prazo mínimo de 30 anos”, e o pagamento de uma renda de 5 667 euros mensais, tendo sido estas as condições com que a única candidata admitida ao concurso não terá concordado.

“No seguimento do procedimento concursal, a única candidata que tinha sido admitida desistiu por não concordar com os termos fixados no concurso em Agosto de 2015”, explica a Economia, que apesar da desertificação dos concursos de venda espera relançar o mesmo.

“As condições do concurso devem agora ser revistas a fim de ser lançado novo procedimento, com o envolvimento de entidades e responsáveis regionais para que o novo concurso seja adequado às necessidades de desenvolvimento da região”, detalha a tutela.

A Visabeira chegou a ser apontada como a empresa interessada em avançar para a compra ou arrendamento deste edifício, notícia que todavia nunca foi confirmada.

O Hotel Turismo da Guarda celebrou no ano passado o 68º aniversário, tendo sido inaugurado em 1947, e conta com mais de 8 mil metros quadrados.

Depois de ter sido explorado por várias sociedades hoteleiras, acabou por recair na câmara municipal da Guarda que, confrontada com a acumulação de prejuízos gerados pela unidade, decidiu dissolver a empresa que a explorava, cessando a actividade do Hotel no final de outubro de 2010. No ano seguinte o hotel foi então comprado pelo Turismo de Portugal por 3,5 milhões de euros que, quatro anos depois, o tentou vender por 1,7 milhões.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Ilustração: Vítor Higgs

Indústria têxtil em força na principal feira de Saúde na Alemanha

O Ministro das Finanças, João Leão. EPA/MANUEL DE ALMEIDA

Nova dívida da pandemia custa metade da média em 2019

spacex-lanca-com-sucesso-e-pela-primeira-vez-a-nave-crew-dragon-para-a-nasa

SpaceX lança 57 satélites para criar rede mundial de Internet de alta velocidade

Hotel Turismo da Guarda. Custou 3,5 milhões ao Estado e agora ninguém o quer