Energia

Iberdrola aumenta lucros 20,4% para 2,5 mil milhões de euros até setembro

Córcoles Galán y Sáinz

Entre janeiro e setembro, a Iberdrola investiu 4.727 milhões de euros, mais 30% do que nos primeiros nove meses de 2018.

Em comunicado, a Iberdrola informou que obteve um lucro líquido de 2.517 milhões de euros nos primeiros nove meses do ano, até setembro, o que representa um aumento de 20,4%, em relação ao período homólogo do ano anterior. Essa evolução positiva, refere a elétrica espanhola, deveu-se, em grande parte, aos investimentos realizados pelo grupo entre janeiro e setembro: 4.727 milhões de euros, mais 30% do que nos primeiros nove meses de 2018.

“Os bons resultados permitem à Iberdrola reafirmar a sua previsão de crescimento do lucro líquido na ordem dos dois dígitos” em 2019, disse a empresa em comunicado

O presidente do grupo, Ignacio Galán, destacou nos resultados “a aceleração dos investimentos, o cumprimento dos objetivos de eficiência já alcançado e a rotatividade de ativos para 2022”. “Estes lucros aumentam a nossa margem para novos investimentos, gerando um círculo auspicioso de crescimento e solidez financeira”, acrescentou Ignacio Galán.

Deste total de 4.727 milhões de euros investidos – o maior valor da história do grupo num período de nove meses – quase 90% foram destinados aos negócios de Redes e Renováveis. Cerca da metade destes investimentos (2.221,7 milhões de euros) foi direcionada para uma nova capacidade renovável, com um aumento de 81% face ao mesmo período em 2018, o que permitirá, antes do previsto, cumprir o objetivo de instalar 13.000 novos MW entre 2018 e 2022.
A Iberdrola prevê fechar 2019 com 5.218 novos MW instalados, o que pressupõe o aumento da sua potência em 11%.

Quanto ao lucro bruto de exploração, o Ebitda alcançou os 7499 milhões de euros até setembro, um crescimento de 11%, devido ao desempenho de Redes e Geração, que compensaram a má evolução das energias renováveis, resultante da menor produção hidroelétrica na Espanha. A área de Renováveis registou um Ebitda de 1.678,3 milhões de euros, uma queda de 4,5% em relação aos primeiros nove meses do ano anterior. A Iberdrola destaca as contribuições do Reino Unido, a começar pela contribuição do parque eólico offshore East Anglia One; e do México, que aumentou sua produção renovável em 53,5%. Na Iberdrola Energia Internacional1, o parque eólico marítimo alemão Wikinger aumentou a produção em 53%.

No que diz respeito à rotatividade de ativos, o grupo dá conta do cumprimentos, com três anos de antecedência, do seu compromisso de atingir os 3.500 milhões de euros para o período 2018-2022. À venda de uma participação minoritária na East Anglia One por 1700 milhões de euros, somaram-se os desinvestimentos em ativos de geração tradicionais no Reino Unido (700 milhões de euros) e em outros ativos não estratégicos, em Espanha e nos Estados Unidos da América.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Vista aérea da Praça dos Restauradores em Lisboa, Portugal, 24 Março de 2020. ANTÓNIO COTRIM/LUSA

A economia entrou em estado de quarentena

Lisboa, 10/05/2019 - Vida do Dinheiro (DN-TSF) - Isabel Furtado, presidente da Cotec e da TMG.
Isabel Furtado
(Gerardo Santos / Global Imagens)

Covid-19: “Medidas têm de ser estratégicas e não apenas imediatas e impulsivas”

Ursula  von der Leyen, presidente da Comissão Europeia. Fotografia: Kenzo Tribouillard/AFP

Comissão Europeia vai rever proposta de orçamento da UE

Iberdrola aumenta lucros 20,4% para 2,5 mil milhões de euros até setembro