Energia

Iberdrola com empréstimo verde de 400 milhões para barragens em Portugal

Construção de uma das barragens do sistema eletroprodutor do Tâmega, da empresa Iberdrola. Fotografia: Pedro Granadeiro/Global Imagens
Construção de uma das barragens do sistema eletroprodutor do Tâmega, da empresa Iberdrola. Fotografia: Pedro Granadeiro/Global Imagens

No verão de 2018, o projeto da Iberdrola no Tâmega contou com um financiamento do Banco Europeu de Investimentos (BEI).

Em comunicado, a Iberdrola informou esta quinta-feita que obteve através do Instituto de Crédito Oficial (ICO) o maior “empréstimo verde” concedido até agora pelo banco público espanhol: 400 milhões de euros, com um período de amortização de 12 anos e dois de carência para o pagamento principal. A operação foi assinada pelo presidente da empresa, Ignacio Galán, e pelo presidente do ICO, José Carlos García de Quevedo, durante um encontro realizado no escritório corporativo da Iberdrola em Madrid.

O empréstimo tem a “condição de verde”, explica a elétrica espanhola, porque os fundos obtidos serão destinados ao Sistema Eletroprodutor do Tâmega, que a empresa está a construir atualmente no norte de Portugal, um projeto que inclui a construção de três novas barragens e três centrais hidroelétricas com uma capacidade total de 1.158 MW, o que representará um aumento de 6% na potência elétrica total de Portugal e que permitirá fornecer energia renovável para 440.000 residências.

Dessa capacidade, 880 MW serão de bombagem, o sistema de armazenamento de energia mais eficiente, na atualidade, com o qual se facilita a integração das energias renováveis no sistema elétrico peninsular, assim como a sua sustentabilidade.

“Para que o empréstimo assinado com o ICO fosse enquadrado como verde contou-se com o parecer independente da agência VigeoEiris, que certificou que o projeto a ser financiado segue os Green Loan Principles. Na sua certificação, a VigeoEiris também avalia a Iberdrola como empresa, de forma global, nos termos da ESG (a sigla, em inglês, refere-se ao seu comportamento na área ambiental, social e de gestão)”, explicou a Iberdrola.

No verão de 2018, o projeto da Iberdrola no Tâmega contou com um financiamento do Banco Europeu de Investimentos (BEI), sendo que a construção das três barragens representará um investimento total superior a 1.500 milhões de euros. Entre 2018 e 2022 a empresa avalia a sua carteira de projetos renováveis em 13.300 milhões de euros. No total, o montante de títulos verdes emitidos pela Iberdrola já supera os 9.500 milhões de euros.

“Além disso, a Iberdrola realizou com um consórcio bancário uma reconfiguração de várias linhas de crédito, no início de 2018, no valor de 5.300 milhões de euros, em que a margem ficava subordinada, entre outros aspetos, à evolução da empresa em vários critérios no âmbito da sustentabilidade. No último mês de março, o grupo fechou outra operação com estas características no valor de 1.500 milhões de euros”, remata o mesmo comunicado.

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

LUÍS FORRA/LUSA

Dia 7. Patrões e motoristas divididos por 50 euros

FOTO: TIAGO PETINGA/LUSA

Reunião marcada para terça-feira se a greve for desconvocada

Outros conteúdos GMG
Iberdrola com empréstimo verde de 400 milhões para barragens em Portugal