OE2019

Idosos continuam a perder isenção do IMI se mudarem para casa dos filhos

Fotografia: João Girão/Global Imagens
Fotografia: João Girão/Global Imagens

O Parlamento chumbou a proposta do CDS/PP que garantia a isenção do IMI das casas dos idosos que mudem a sua morada fiscal para a casa dos filhos.

Os proprietários de casas de baixo valor patrimonial e reduzidos rendimentos arriscam perder a isenção do IMI das suas casas se optarem por ir residir com os filhos, mas o mesmo não acontece se forem viver para um Lar. Esta regra do Código do IMI tem sido criticada e o CDS/PP entregou uma alteração ao OE com o objetivo de a eliminar, mas a união de votos do PS, PCP e Bloco de Esquerda travou a iniciativa.

Em causa estão as pessoas cujo rendimento bruto anual é inferior a 15 295 euros (2,3 vezes o indexante de apoios sociais, fixado em 475 euros e considerado em 14 vezes por ano) e com imóveis de valor patrimonial até aos 66 500 euros.

O código do IMI faz depender a atribuição e manutenção daquela isenção (que é calculada de forma automática pela Autoridade Tributária e Aduaneira) da morada fiscal, considerando que esta é a que consta no Cartão do Cidadão.

Esta situação faz com que muitos idosos acabem por ser surpreendidos com o fim daquela isenção quando optam por se mudar para casa dos filhos, uma vez que o Código do IMI apenas admite que o idoso que “se encontre a residir em lar de terceira idade pode beneficiar da isenção”.

O CDS/PP tinha apresentado uma proposta de alteração que estendia esta isenção a outras situações nomeadamente quando os idosos residiam com filhos, mas a iniciativa foi chumbada.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Fotografia: TIAGO PETINGA/LUSA

Novo Banco prevê redução de 1,7 mil milhões de malparado em 2020

Sede do Novo Banco, ex-BES, na Avenida da Liberdade.
(Ângelo Lucasl / Global Imagens )

Novo Banco não afasta que possa vir a pedir mais capital ao Fundo de Resolução

Idosos continuam a perder isenção do IMI se mudarem para casa dos filhos