Imobiliário Comercial

Imobiliário. Investimento deve cair 20% para 2.500 milhões

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

Nos primeiros seis meses do ano foram transacionados 1.670 milhões de euros em imobiliário comercial no país, um crescimento homólogo de 50%

O investimento em imobiliário comercial deverá situar-se nos 2.500 milhões de euros até ao final este ano, volume que a verificar-se representará uma quebra homóloga de 20%, estima a Cushman & Wakefield.

Segundo o Market Update da consultora, nos primeiros seis meses do ano foram transacionados 1.670 milhões de euros em imobiliário comercial no país, um crescimento homólogo de 50%, distribuídos por 27 operações.

Para este resultado contribuiu a venda de 50% da joint-venture Sierra Prime pela Sonae Sierra e APG à Allianz Real Estate e Elo, por cerca de €800 milhões, e que compensou a quebra de 88% registada no segundo trimestre, para os €87,5 milhões.

Segundo o relatório, o investimento estrangeiro diminui para os 71%, refletindo praticamente um triplicar do capital nacional face ao mesmo período de 2019, para os €491 milhões. O setor de retalho atraiu 56% do capital investido, seguido por escritórios (21%) e hotelaria (18%).

Como destaca a Cushman & Wakefield, “a previsível quebra na receita operacional dos imóveis e a maior aversão ao risco pelos bancos no financiamento de transações imobiliárias contribuíram para o abrandamento da atividade de investimento”.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Linhas de crédito anti-covid ainda podem vir a pesar muito nas contas públicas

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Só 789 empresas mantiveram lay-off simplificado em agosto

Imobiliário. Investimento deve cair 20% para 2.500 milhões