tabaco

Imperial Tobacco critica PAN e diz que já paga taxa de reciclagem

Foto: REUTERS/Fabrizio Bensch
Foto: REUTERS/Fabrizio Bensch

Depois das Europeias, o PAN anunciou a entrega de um um projeto de lei para proibir que se deitem as pontas de cigarros para o chão. Segundo o projeto do partido, em Portugal são atiradas para o chão 7 mil beatas a cada minuto, pelo que o texto defende a criação de uma ecotaxa, a pagar pelos produtores de tabaco, para financiar a sensibilização, formação, limpeza e recuperação de ecossistemas.

No entanto, a Imperial Tobacco entende que o imposto sobre o tabaco já inclui uma taxa de reciclagem e acusa o PAN de não ter feito o trabalho de casa. João Pedro Lopes, Corporate Affairs Portugal da IT, diz, numa declaração enviada ao Dinheiro Vivo, que “os produtores estão ao lado de algumas destas ideias, a própria IT já manifestou vontade de se envolver em ações de sensibilização deste tipo”.

Quanto à ecotaxa “fica a ideia que há uma precipitação por parte do PAN, tendo em conta que as embalagens já incluem o chamado ponto verde, taxa de reciclagem e que o PAN parece não se ter apercebido, ou mesmo não está perfeitamente por dentro da estrutura fiscal do Tabaco. A imperial Tobacco entrega mensalmente cerca de 7 mil euros para processo de reciclagem contribuindo para a redução da pegada ecológica. Os fabricantes ficaram impedidos de distribuir cinzeiros personalizados após a introdução da lei do tabaco, facto que os impede de contribuírem de forma eficaz para a diminuição de beatas na via pública manifestando se inteiramente disponíveis para voltar a distribuí-los”.

A proposta do PAN vai ser debatida a 12 de junho e pretende colocar cinzeiros à porta de vários estabelecimentos, a limpeza frequente dos espaços envolventes dos estabelecimentos e coimas.

Segundo o projeto do PAN, em Portugal são consumidos 10 biliões de cigarros por ano; em 2014, foram fumados 5.8 triliões de cigarros em todo o mundo, sendo que para 2025 estão previstos 9 triliões; em 2016, o consumo global na Europa foi de 1.2 triliões cigarros e, segundo a associação The Terra Mar Project, 2,3 milhões de beatas são descartadas a cada minuto em todo o mundo.

Por sua vez, o PAN diz, em resposta enviada ao DV, que “a Imperial Tobacco refere-se a uma taxa diferente daquela que é contemplada na proposta do PAN, ou seja, a Taxa de Gestão de Resíduos referente ao pacote de tabaco e não às pontas de cigarro. A Ecotaxa é paga em produtos tão variados como pilhas, baterias, pneus, equipamentos elétricos e eletrónicos, lâmpadas, embalagens de cartão, embalagens de medicamentos ou de fitofármacos, garrafas de plástico, vidro ou metal, óleos lubrificantes, entre outros.”

Sobre a proposta, o partido acrescenta que “pretende dar um importante passo na gestão de um resíduo massivamente presente no ambiente e que tem sido esquecido, as pontas de cigarros (beatas), estendendo aos produtores de cigarros o pagamento da Ecotaxa, aliás, de acordo com o que se encontra previsto na Diretiva dos Plásticos de Uso Único, que refere que os produtos do tabaco com filtros e filtros comercializados para uso em combinação com produtos do tabaco devem ser sujeitos ao regime de responsabilidade alargada do produtor.”

Atualizada às 17h00 de 06-06-2019, com a posição do PAN

 

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Biedronka assegura 68% das vendas; Pingo Doce 24%

Jerónimo Martins vai impugnar coima de 24 milhões na Polónia

Parque Eólico

EDP Renováveis vende sete parques eólicos à Finerge em Espanha

Luís Máximo dos Santos é presidente do Fundo de Resolução.

Fundo de Resolução diz que comprador da GNB tinha a proposta “mais atrativa”

Imperial Tobacco critica PAN e diz que já paga taxa de reciclagem