Impostos

Imposto de circulação de carros importados vai baixar em 2020

Fotografia: D.R.
Fotografia: D.R.

Contribuintes que pagam mais IUC por carros importados, vão continuar a fazê-lo até 2020, apesar de situação violar regras europeias.

O Estado vai corrigir o Imposto Único de Circulação (IUC) dos carros importados. O diploma está no parlamento, depois de milhares de contribuintes terem pagado mais devido a uma distorção fiscal e de Bruxelas ter lançado um processo sobre Portugal, mas só entrará em vigor em 2020, escreve o Público esta terça-feira.

Há 12 anos, altura em que entrou em vigor o código de IUC, que o Estado português cobra mais sobre carros importados após julho de 2007. O veículo é tributado com base no ano da primeira matrícula portuguesa, ou seja, como se fosse novo, ignorando-se a primeira matrícula estrangeira.

O diário dá o exemplo de um contribuinte com um carro importado que paga cerca de 860 euros de IUC e de outro, com o mesmo carro mas comprado em Portugal, que paga 62 euros de imposto.

Bruxelas já abriu dois procedimentos de infração contra o Estado português. O primeiro, há nove anos, foi arquivado e o segundo, aberto no início deste ano, deverá ser encerrado, já que a lei vai ser corrigida.

A Comissão Europeia entende que carregar no imposto sobre os carros importados viola o artigo 110.º do Tratado da União Europeia, que impede um Estado-membro de aplicar direta ou indiretamente imposições sobre produtos importados superiores às que incidam sobre produtos nacionais similares.

“A referida proposta tem em vista garantir uma total equiparação, ao nível do tratamento dado em IUC, entre os veículos objeto de uma primeira matrícula noutro Estado-Membro da União Europeia e os veículos registados ou matriculados objeto de uma primeira matrícula em Portugal” explicou fonte oficial do Ministério das Finanças.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje

Página inicial

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

As razões de Teixeira dos Santos – e aquilo que nunca soube

O antigo ministro das Finanças, Teixeira dos Santos ouvido na II Comissão Parlamentar de Inquérito à Recapitalização da Caixa Geral de Depósitos e à Gestão do Banco. Assembleia da República, Lisboa, 19 de junho de 2019. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Teixeira dos Santos: Sócrates alertou que nomear Vara criaria “ruído mediático”

Outros conteúdos GMG
Imposto de circulação de carros importados vai baixar em 2020