aviação

Imprevistos com voos? Exija o que tem direito

Saiba como e onde reclamar se tiver problemas com a sua viagem de avião.

O verão vai ser movimentado nos aeroportos portugueses e internacionais. Entre greves da tripulação de várias companhias aéreas e problemas de lotação e logística, estão reunidas as condições para o caos nos meses de descanso. Atrasos e cancelamentos de voos e muitas dores de cabeça são os ingredientes que esperam milhares de passageiros. A regulação da União Europeia determina que os passageiros devem ser compensados financeiramente em caso de atraso, cancelamento ou impedimento de embarque. O Dinheiro Vivo falou com a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (Deco) e com o brand manager e especialista em direitos dos passageiros da AirHelp, Bernardo Pinto, para perceber quais os procedimentos que devem ser seguidos caso haja imprevistos na viagem.

O que fazer no aeroporto?
Deverá dirigir-se ao balcão da companhia aérea e solicitar um voo alternativo, caso o seu tenha sido cancelado. Deve pedir à companhia para pagar as suas refeições e bebidas. Não deve assinar nada, nem aceitar quaisquer ofertas que possam renunciar os seus direitos enquanto passageiro.

A que tem direito?
No caso de atrasos superiores a duas horas, para voos com uma distância de mais de 1500 quilómetros, a companhia deve fornecer aos passageiros refeições e bebidas e a opção de fazer duas chamadas telefónicas, enviar dois faxes ou e-mails. Se necessário, a companhia deve ainda fornecer alojamento e providenciar transporte até lá.

Que documentos guardar?
Deve guardar todos os documentos relacionados com o voo interrompido e quaisquer voos alternativos oferecidos, tais como e-tickets e cartões de embarque. Todas as informações que possa recolher, como fotos do painel de partidas no aeroporto ou comunicações da companhia aérea confirmando a interrupção, horários de atraso e partidas, serão úteis para a reclamação.

Quando e como reclamar?
O pedido de compensação pode ser feito retroativamente até três anos após a data do voo. Primeiramente, deverá reclamar junto da companhia aérea com a qual sucedeu o imprevisto. Se não ficar satisfeito, deverá reclamar junto do organismo nacional responsável do Estado membro onde o problema ocorreu. Em Portugal é a Autoridade Nacional da Aviação Civil.

Qual a compensação?
O valor é calculado tendo em conta a distância do voo, a extensão do atraso na chegada, se é dentro ou fora do Espaço Económico Europeu e a razão que levou ao atraso ou cancelamento. As compensações variam entre 125 euros e 600 euros por passageiro.

O que dá compensação?
Se o voo tiver um atraso superior a três horas, se for cancelado com menos de 14 dias de antecedência ou caso exista negação de embarque involuntária que não seja da responsabilidade do passageiro, este tem direito a ser indemnizado.

Overbooking, o que fazer?
As companhias aéreas são obrigadas a procurar voluntários que cedam as suas reservas a troco de benefícios. Os passageiros que ficarem em terra contra a sua vontade por causa de overbooking podem optar por ser reembolsados e regressar ao local de partida ou serem encaminhados para o destino. Terão ainda direito a uma indemnização entre os 250 e os 600 euros, consoante as características do voo.

A AirHelp ajuda
Se não quiser perder tempo com burocracias peça ajuda à AirHelp. A empresa faz o pedido de compensação por si em troca de 25% do valor da indemnização a que tiver direito. Se a reclamação não tiver sucesso, não terá de pagar nada.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
Presidente do Conselho de Finanças Públicas (CFP), Nazaré da Costa Cabral. MANUEL DE ALMEIDA/LUSA

Linhas de crédito anti-covid ainda podem vir a pesar muito nas contas públicas

Fotografia: Fábio Poço/Global Imagens

Apoio a rendas rejeitado devido a “falha” eletrónica

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho. RODRIGO ANTUNES/LUSA

Só 789 empresas mantiveram lay-off simplificado em agosto

Imprevistos com voos? Exija o que tem direito