IMT bate mínimos com queda na venda de casas

É o número mais baixo dos últimos

anos. Entre janeiro e novembro, as Finanças registaram a entrada de

77 218 declarações para pagamento do Imposto Municipal sobre

Transações (IMT), a antiga sisa. Ou seja, uma média diária de 248

pagamentos, contra 277 em 2012.

O volume de pagamentos da antiga sisa

está relacionado com o número de vendas de imóveis, que estão a

cair desde o início da crise. Ainda assim, a previsão de receita do

IMT para 2014 que o Governo inscreveu na proposta do Orçamento do

Estado aponta para uma subida de 18 milhões de euros face aos 367

milhões que estima cobrar este ano.

De acordo com os dados da Associação

dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal

(APEMIP), transacionaram-se, até setembro, uma média de 72 mil

imóveis , sendo este um número próximo do total de pagamentos de

IMT que chegaram às Finanças até quinta-feira passada. A evolução

da estatística faz antever que 2013 arrisca fechar com o registo de

pagamentos de imposto mais baixo dos últimos anos.

O agudizar da crise e a maior

dificuldade em obter financiamento para a compra de casa explicam a

queda. A manter-se este ritmo, 2013 encerrará com 90 500 casas

vendidas, uma queda de 10%.

O Governo estima que o IMT deva render

este ano 367 milhões de euros e 385 milhões de euros em 2014, mas a

manutenção da quebra no número de transações de imóveis que se

regista há já vários anos poderá pôr em risco este objetivo de

receita.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de