incêndios

Número de feridos sobe para 20 no distrito de Castelo Branco

Sistema "Fire Protection" vai proteger veículos de combate a incêndios

Ministro da Administração Interna deu conta de oito bombeiros e 12 civis feridos na sequência dos incêndios.

O ministro da Administração Interna indicou hoje que subiu para 20 o número de feridos nos incêndios que lavram desde a tarde de sábado no distrito de Castelo Branco e que se propagaram a Mação, distrito de Santarém.

Em declarações aos jornalistas, Eduardo Cabrita deu conta de oito bombeiros e 12 civis feridos na sequência dos incêndios.

O governante acrescentou que dos 20 feridos apenas um dos civis se encontra na unidade de queimados do Hospital de São José, em Lisboa.

Os restantes são todos feridos ligeiros, sobretudo devido a “inalação de fumos e entorses”, referiu.

“Registamos vinte feridos: oito bombeiros e 12 civis, mas apenas um regista cuidados, todos os outros já saíram das unidades em que foram tratados. Apenas um civil que está internado numa unidade de queimados de um hospital de Lisboa que se encontra ainda com prognóstico reservado”, adiantou Eduardo Cabrita.

O ministro falava aos jornalistas após se deslocar esta manhã à sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide, concelho de Oeiras, distrito de Lisboa.

De acordo com a página da internet da ANEPC, pelas 11:45, estão 820 operacionais apoiados por 251 meios terrestres e 14 meios aéreos a combater o incêndio ainda ativo no concelho de Vila de Rei, que se propagou ao concelho de Mação, distrito de Santarém.

“Está neste momento ainda ativo um incêndio que, tendo iniciado no município de Vila de Rei, se prolongou depois também para zonas do município de Mação. Neste momento, nesse incêndio estão colocados cerca de 800 operacionais estão a atuar já 14 meios aéreos: 12 meios aéreos de combate e dois, um helicóptero e um avião, de verificação e coordenação operacional do terreno”, afirmou Eduardo Cabrita.

O ministro da Administração Interna referiu ainda que este incêndio ainda ativo está a ser combatido em cinco setores.

“Quatro desses setores são neste momento considerados como dominados. Há um setor que está ainda com um nível de atividade significativa, mas em que a progressão terá sido neste momento travada”, afirmou o governante.

Durante a madrugada foram dados como dominados dois dos três incêndios que deflagraram nos concelhos de Vila de Rei e da Sertã, distrito de Castelo Branco, mas os meios vão permanecer no terreno para prevenir reacendimentos.

“Nos outros dois incêndios que foram considerados dominados por volta das quatro horas desta madrugada, o que foi transmitido pelo senhor comandante operacional nacional é que, face ao risco de reacendimento, que existe, não serão retirados os meios que lá estão neste momento”, sublinhou o ministro.

Eduardo Cabrita assegurou que o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) tem estado “totalmente operacional”, manifestou “confiança” na estrutura de Proteção Civil que está no terreno, acrescentando que o primeiro-ministro, António Costa, esteve sempre ao corrente das operações.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa (E), conversa com o ministro de Estado e das Finanças, Mário Centeno (D), durante o debate parlamentar de discussão na generalidade do Orçamento do Estado para 2020 (OE2020), esta tarde na Assembleia da República, em Lisboa, 09 de janeiro de 2020. MIGUEL A. LOPES/LUSA

Subida do PIB em 2019 chega aos 2,2% com revisão nas exportações de serviços

Foto - Leonardo Negrao

Deco: seguros de saúde não cobrem coronavírus, seguros de vida sim

Foto: D.R.

Easyjet. Ligações de Portugal com Itália não serão afetadas, por enquanto

Número de feridos sobe para 20 no distrito de Castelo Branco