Contas nacionais

INE. Economia cresce 1,4% e supera todas as previsões em 2016

António Costa. Fotografia: ANDRÉ KOSTERS / LUSA
António Costa. Fotografia: ANDRÉ KOSTERS / LUSA

PIB acelerou para 1,9% no quarto trimestre, indica o INE. Economia tem melhor final do ano desde 2008, igualando marca de 2013.

A economia portuguesa acelerou em termos reais no quatro trimestre, crescendo 1,9% face a igual período de 2015, e terminou o ano com uma expansão de 1,4%, sendo que este último valor que supera todas as previsões mais recentes, indicam dados divulgados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Em todo o caso, a economia desacelerou face a 2015.

Segundo o INE, “no 4º trimestre de 2016, o Produto Interno bruto (PIB) registou, em termos homólogos, um aumento de 1,9% em volume”, desempenho mais forte do que o do 3º trimestre, quando a economia cresceu 1,6%.

O reforço da atividade para 1,9% “resultou do aumento do contributo da procura interna, observando-se uma recuperação do investimento e um crescimento mais intenso do consumo privado”, explica o instituto.

Já o contributo da procura externa líquida (exportações menos importações) “foi negativo”, “contrariamente ao observado no trimestre anterior, refletindo a aceleração mais acentuada das importações”, que superou a das exportações totais.

Este registo mais forte da atividade no quarto trimestre faz com que este final de ano de 2016 seja (ex-aequo com 2013) o mais forte desde finais de 2008, altura em que o aumento do PIB chegou a 2,8% em termos reais, mostram as séries do INE.

Crescimento de 2016 penalizado por investimento e consumo

Em termos anuais, o PIB de 2016 aumenta 1,4%, superando todas as previsões feitas nos últimos meses. O governo estava à espera de 1,2% no Orçamento do Estado (outubro).

Ontem, a Comissão Europeia apostava em 1,3%; e ainda na semana passada, a OCDE veio a Portugal acenar com um crescimento de apenas 1,2% no ano passado.

Em setembro, o Conselho das Finanças Públicas apontava para apenas 1%. Em dezembro, o FMI falava em 1,3% e o Banco de Portugal calculou 1,2% no seu boletim económico.

Em todo o caso, a economia desacelera, embora menos que o previsto. Tinha crescido 1,6% em 2015, confirma agora o INE.

Segundo a autoridade estatística, “o PIB aumentou 1,4% em volume, menos 0,2 pontos percentuais” face ao ano anterior. “O contributo da procura interna diminuiu, refletindo a redução do investimento e, em menor grau, a desaceleração do consumo privado”.

“A procura externa líquida apresentou um contributo significativamente menos negativo que em 2015.”

Os primeiros dados detalhados para as contas nacionais do quatro trimestre e do ano passado serão publicadas a 1 de março, diz o INE.

(atualizado às 10h10)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
dbrs-1060x594

DBRS mantém rating de Portugal em ‘BBB’ e perspetiva estável

O primeiro-ministro, António Costa, intervém durante a cerimónia de assinatura de declaração de compromisso de parceria para Reforço Excecional dos Serviços Sociais e de Saúde e lançamento do programa PARES 3.0, no Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, em Lisboa, 19 de agosto de 2020. ANDRÉ KOSTERS/LUSA

“Na próxima semana podemos chegar aos 1000 casos por dia”, avisa Costa

App Stayaway covid

App Stayaway Covid perto do milhão de downloads. 46 infetados enviaram alertas

INE. Economia cresce 1,4% e supera todas as previsões em 2016