Contas nacionais

INE. Economia cresce 1,4% e supera todas as previsões em 2016

António Costa. Fotografia: ANDRÉ KOSTERS / LUSA
António Costa. Fotografia: ANDRÉ KOSTERS / LUSA

PIB acelerou para 1,9% no quarto trimestre, indica o INE. Economia tem melhor final do ano desde 2008, igualando marca de 2013.

A economia portuguesa acelerou em termos reais no quatro trimestre, crescendo 1,9% face a igual período de 2015, e terminou o ano com uma expansão de 1,4%, sendo que este último valor que supera todas as previsões mais recentes, indicam dados divulgados esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE). Em todo o caso, a economia desacelerou face a 2015.

Segundo o INE, “no 4º trimestre de 2016, o Produto Interno bruto (PIB) registou, em termos homólogos, um aumento de 1,9% em volume”, desempenho mais forte do que o do 3º trimestre, quando a economia cresceu 1,6%.

O reforço da atividade para 1,9% “resultou do aumento do contributo da procura interna, observando-se uma recuperação do investimento e um crescimento mais intenso do consumo privado”, explica o instituto.

Já o contributo da procura externa líquida (exportações menos importações) “foi negativo”, “contrariamente ao observado no trimestre anterior, refletindo a aceleração mais acentuada das importações”, que superou a das exportações totais.

Este registo mais forte da atividade no quarto trimestre faz com que este final de ano de 2016 seja (ex-aequo com 2013) o mais forte desde finais de 2008, altura em que o aumento do PIB chegou a 2,8% em termos reais, mostram as séries do INE.

Crescimento de 2016 penalizado por investimento e consumo

Em termos anuais, o PIB de 2016 aumenta 1,4%, superando todas as previsões feitas nos últimos meses. O governo estava à espera de 1,2% no Orçamento do Estado (outubro).

Ontem, a Comissão Europeia apostava em 1,3%; e ainda na semana passada, a OCDE veio a Portugal acenar com um crescimento de apenas 1,2% no ano passado.

Em setembro, o Conselho das Finanças Públicas apontava para apenas 1%. Em dezembro, o FMI falava em 1,3% e o Banco de Portugal calculou 1,2% no seu boletim económico.

Em todo o caso, a economia desacelera, embora menos que o previsto. Tinha crescido 1,6% em 2015, confirma agora o INE.

Segundo a autoridade estatística, “o PIB aumentou 1,4% em volume, menos 0,2 pontos percentuais” face ao ano anterior. “O contributo da procura interna diminuiu, refletindo a redução do investimento e, em menor grau, a desaceleração do consumo privado”.

“A procura externa líquida apresentou um contributo significativamente menos negativo que em 2015.”

Os primeiros dados detalhados para as contas nacionais do quatro trimestre e do ano passado serão publicadas a 1 de março, diz o INE.

(atualizado às 10h10)

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
A Deliveroo encabeça a lista.
REUTERS/Phil Noble

Oito portuguesas no ranking 500 de tecnologia da Deloitte

Sindicatos da PT contra a Altice

Sindicatos avançam com ações contra PT

Fotografia: Rui Coutinho / Global Imagens

Défice da balança comercial aumentou em 613 milhões em outubro

Outros conteúdos GMG
Conteúdo Patrocinado
Conteúdo TUI
INE. Economia cresce 1,4% e supera todas as previsões em 2016