dia mundial da energia

INESC TEC testa solução para melhorar eficiência energética em mais de 200 casas

Fotografia: Global Imagens
Fotografia: Global Imagens

A solução vai ser testada nas casas de 100 clientes de Alcochete, 60 das Caldas da Rainha, 40 de Valverde, em Évora, e 14 de Mafra.

Investigadores do Porto e a EDP testam a partir do próximo mês em 214 casas de Alcochete, Caldas da Rainha, Évora e Mafra uma solução que visa auxiliar os consumidores a “melhorarem a eficiência energética” dos seus eletrodomésticos.

David Rua, um dos investigadores do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) envolvidos no projeto, disse hoje à Lusa que a solução vai ser testada, a partir de junho, nas casas de 100 clientes de Alcochete, 60 das Caldas da Rainha, 40 de Valverde, em Évora, e 14 de Mafra.

Já em outubro do ano passado, a EDP Distribuição anunciava que os “clientes interessados” deveriam inscrever-se, sendo que, após uma seleção, poderiam ver nas suas casas “sem quaisquer custos” eletrodomésticos inteligentes, não só durante a fase de teste, “mas também depois da fase de demonstração”.

Com o objetivo de “otimizar os equipamentos existentes no ambiente doméstico” tendo em vista a redução dos consumos de energia e, consequentemente, do valor das faturas de eletricidade, esta solução foi desenvolvida no âmbito do projeto europeu Integrid, aprovado pela Comissão Europeia e financiado em cerca de 15 milhões de euros, dos quais 5,7 milhões são destinados a Portugal.

Segundo o investigador, a tecnologia, “semelhante a uma pequena ‘box'”, é ligada à rede doméstica (‘wi-fi’) e permite a supervisão dos consumos diários, semanais, mensais ou anuais de cada eletrodoméstico através de uma aplicação móvel, também desenvolvida como parte integrante da solução.

Apesar de o equipamento ser desenhado à medida de “eletrodomésticos inteligentes”, não deixa de parte os “convencionais”, isto porque permite que seja o consumidor a “dizer” à aplicação quais são os eletrodomésticos que tem em casa, tais como máquinas de lavar a roupa, painéis solares ou frigoríficos.

Além de inserir informação sobre os equipamentos, o consumidor tem também de avisar a plataforma de quais são os “seus horários”, isto é, de quando está a trabalhar ou está em casa, de modo a que seja programada a melhor hora para ativar os dispositivos, como por exemplo, a “hora dos banhos”.

“Usando toda a panóplia de equipamentos em casa, o que a plataforma faz é procurar o ponto ótimo”, afirmou o investigador, adiantando que se a “casa não for inteligente” o sistema está programado para enviar uma mensagem automática ao consumidor a dizer “qual a melhor altura do dia para ligar o dispositivo”.

A partir daí, a plataforma vai “definir automaticamente” os consumos de cada eletrodoméstico e fazer “uma previsão” para o dia seguinte, podendo esta previsão ser alterada pelo consumidor ou até interrompida, por exemplo, caso se ausente de casa por um período mais prolongado.

“Com toda esta informação é de facto possível que a plataforma calcule os gastos e o consumidor possa medir o comportamento final, ou seja, verificar o histórico e ver se realmente conseguiu reduzir o custo face aos dias anteriores”, concluiu.

A solução Integrid está hoje, a par de outras tecnologias, numa mostra tecnológica do INESC TEC que, para assinalar o Dia Nacional da Energia, que hoje se celebra, organizou uma sessão sobre “Sistemas de energia com 100% de energia elétrica proveniente de fontes renováveis”.

“Em 20/30 anos, os países mais desenvolvidos, e onde Portugal se inclui, utilizarão para satisfazer a procura de eletricidade um portfolio de tecnologias de geração tendencialmente 100% renovável relativamente às energias primárias utilizadas e que serão: a solar, a eólica, a hidroeletricidade, a biomassa e até a geotermia”, garante João Abel Peças Lopes, diretor associado do INESC TEC e professor catedrático na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP).

Sob o mote “Sistemas de energia com 100% de energia elétrica proveniente de fontes renováveis” teve lugar a discussão sobre os sistemas de energia do futuro no Porto no dia 29 de maio, data em que se celebra o Dia Nacional da Energia. Cerca de 500 pessoas marcaram presença no grande Auditório da FEUP. O evento, organizado pelo INESC TEC e com o carimbo da Comissão Europeia, inclui também uma mostra tecnológica ligada a soluções de engenharia na área da energia.

Um drone para inspeção de linha elétricas para reduzir o risco humano, custos operacionais e tempo, um sistema de gestão inteligente de consumo energético em casa ajustado às preferências dos utilizadores, uma plataforma de gamificação dedicada à eficiência energética e dotada de sensores capazes de monitorizar níveis de humidade, temperatura, concentração de CO2 ou luminosidade, um inversor inteligente para produção e armazenamento de energia fotovoltaica em ambiente doméstico e uma caixa de comunicações wireless para aplicação em plataformas offshore de fontes de energia renováveis – são algumas das tecnologias desenvolvidas pelo INESC TEC na área da energia que vão estar em mostra

O evento organizado pelo INESC TEC é apoiado pela iniciativa “Energy Days”, organizada pela Comissão Europeia no âmbito da Sustainable Energy Week. Os Energy Days são atividades que pretendem promover uma transição para a energia limpa e podem ser organizados por diferentes instituições, públicas ou privadas, nos diferentes países Europeus.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Hoje
O primeiro-ministro, António Costa. Foto: Rodrigo Antunes/EPA

Costa agradece às forças armadas e defende o seu uso com analogia futebolística

O primeiro-ministro, António Costa. Foto: Rodrigo Antunes/EPA

Costa agradece às forças armadas e defende o seu uso com analogia futebolística

Francisco São Bento, presidente do SNMMP. Foto: Sara Matos/Global Imagens

Cinco momentos chave numa greve de sete dias

Outros conteúdos GMG
INESC TEC testa solução para melhorar eficiência energética em mais de 200 casas