Andorra adere ao FMI e torna-se o 190º membro da organização

A adesão permite ao governo de Andorra beneficiar de aconselhamento na definição de políticas.

O Principado de Andorra assinou esta semana a adesão ao Fundo Monetário Internacional, tornando-se o 190.º país a aderir a esta instituição financeira multilateral, concluindo assim um processo que começou em janeiro.

"Estou muito satisfeita em dar as boas vindas a Andorra enquanto 190.º membro do FMI", comentou a diretora executiva do Fundo, Kristalina Georgieva, no final de um encontro que manteve com a embaixadora de Andorra nos EUA, Elisenda Vives Balmaña.

"Andorra enfrenta desafios de curto e longo prazo similares a outros Estados europeus e outros membros do FMI, que foram agravados pela pandemia, e o FMI está pronto para trabalhar de perto com as autoridades e o povo de Andorra para atingir objetivos de desenvolvimento e crescimento em cooperação com outros parceiros da comunidade internacional", acrescentou a líder do FMI, citada num comunicado enviado às redações.

A quota inicial de Andorra no FMI é de cerca de 116,4 milhões de dólares, o equivalente a pouco mais de 99 milhões de euros.

O processo de adesão de Andorra foi o primeiro feito de forma virtual devido à pandemia, e decorreu desde janeiro, data em que o principado fez o pedido formal de adesão ao FMI.

"A adesão permite ao Governo de Andorra beneficiar de aconselhamento na definição de políticas rumo a uma recuperação sustentável, especialmente num contexto de combate à pandemia de covid-19", lê-se na página do FMI, onde esta informação ocupa a primeira página.

"Em particular, o país vai agora poder receber uma revisão anual do FMI, um 'exame à saúde' da economia feito pelo FMI, aceder a assistência técnica e ter empréstimos do Fundo, se for necessário", conclui-se na página.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de