BCE espera que inflação recue em 2022

"Os motores da inflação devem perder o vigor durante este ano", após um pico de 5% em dezembro, disse Christine Lagarde.

O Banco Central Europeu (BCE) espera que a inflação alta dos últimos meses, fortemente impulsionada pela energia, possa perder força em 2022, declarou esta sexta-feira a sua presidente, Christine Lagarde.

"Os motores da inflação devem perder o vigor durante este ano", após um pico de 5% em dezembro, disse Lagarde, falando no Senado francês e reafirmando o compromisso do BCE de colocar a inflação no nível pretendido de 2%.

"Entendemos que o aumento de preços é motivo de preocupação para muitos dos nossos concidadãos e levamos essa preocupação muito a sério", afirmou a presidente do BCE.

A inflação elevada resulta de uma rápida recuperação da atividade económica na zona euro, que conduziu a fortes subidas dos preços dos combustíveis, gás e eletricidade. A componente energética contribuiu para cerca de metade da taxa de inflação atual, sublinhou.

A médio prazo, Lagarde espera "maior volatilidade dos preços da energia" devido à transição energética que implica um recurso significativo ao gás natural utilizado em complemento ao desenvolvimento de energias renováveis.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de