Inflação anual em Espanha sobe para 4%, a mais alta desde setembro de 2008

O aumento de preços da eletricidade e dos combustíveis fez disparar a inflação.

A inflação anual em Espanha subiu para 4% em setembro, 0,7 pontos percentuais mais do que em agosto e a taxa mais alta desde setembro de 2008, devido principalmente ao aumento de preços da eletricidade e dos combustíveis.

O Instituto Nacional de Estatística espanhol (INE) confirmou esta quinta-feira os dados do índice de preços no consumidor (IPC) avançados há duas semanas, o que consolida a aceleração da inflação no seu sétimo mês consecutivo.

Entre os fatores que mais influenciaram esta situação está a subida dos preços da eletricidade, que provocou um aumento dos preços no setor da habitação em 14,5% em relação a setembro de 2020 - mais três pontos do que em agosto -, um aumento para o qual também contribuiu a subida do petróleo e gás para aquecimento, que tinha caído no ano passado.

Foi também exercida uma pressão em alta sobre o IPC pelo aumento dos preços dos transportes (mais 9,8%, um ponto mais do que em agosto), como resultado do aumento dos combustíveis e lubrificantes, que caíram no ano passado, e apesar do declínio de outros serviços devido à liberalização de alguns troços das autoestradas.

Por outro lado, alimentos e bebidas não alcoólicas aumentaram os seus preços em 1,8%, um décimo de ponto percentual menos, devido aos preços mais baixos da fruta e dos vegetais, o que ajudou a conter a inflação.

Uma vez retirados do índice os artigos mais voláteis, alimentos não processados e produtos energéticos, a inflação subjacente foi de 1,0 %, três décimas de ponto percentual mais alta do que em agosto e três pontos percentuais mais baixa do que o índice geral, que é a maior diferença entre as duas taxas desde o início da série.

Em termos mensais, os preços subiram 0,8% em setembro em comparação com agosto, devido ao aumento dos preços da eletricidade, no início da estação outono-inverno para o vestuário e calçado e ao aumento dos preços dos combustíveis.

O índice harmonizado de preços no consumidor (IHPC), que mede a evolução dos preços utilizando o mesmo método em toda a zona euro, situou-se em 4 % numa base anual, sete décimas de ponto percentual mais do que em agosto, e 1,1 % numa base mensal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de