Itália anuncia fecho de discotecas e uso de máscaras obrigatório à noite

O uso de máscaras nos locais públicos será obrigatório entre as 18H00 e as 6H00.

O Governo italiano decidiu mandar encerrar bares e discotecas e impor o uso compulsório de máscaras faciais nos locais públicos durante a noite.

As medidas surgem depois de o país ter registado mais de 600 casos confirmados de infetados com o novo coronavírus num só dia.

O uso de máscaras nos locais públicos será obrigatório entre as 18H00 e as 6H00.

Entretanto, a Itália registou 479 novos casos de infeção pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, um número abaixo ao dos dias interiores. Mas a queda por estar relacionada com a diminuição dos testes realizados, refere a agência Lusa, citando a EFE. Sobe, assim, para 253.915 o total de casos registados no país desde a pandemia

Itália, tal como outros países europeus, tem vindo a registar um aumento de novos casos de infetados com o novo coronavírus, enquanto outros países, como a Suécia - que não optou pelo confinamento forçado da população - observam uma descida no número de novos casos. (Clique aqui para ver dados)

França, por exemplo, registou mais 3.300 novos casos em 24 horas, o valor mais alto desde maio.

Portugal registou 121 infetados nas últimas 24 horas e três vítimas mortais. Itália registou 627 novos casos no mesmo período.

A nível global, registaram-se mais 236 mil novos casos no último dia, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Segunda onda na Europa?

A maioria dos países, incluindo os europeus, optou pelo confinamento forçado da população, o fecho de escolas e de negócios, o que criou uma das maiores crises económicas de sempre. Mas, depois de um pico nas mortes, as vítimas de Covid-19 nestes países começou a descer. Agora, vários países registam um aumento de novos casos e vítimas mortais.

A Suécia registou um número maior de mortes por milhão de habitante do que muitos dos países que fecharam escolas e a economia mas, desde o pico de 115 mortes diárias, em abril, o país tem assistido a uma progressiva queda nas vítimas mortais.

Também os novos casos de infetados têm vindo a cair na Suécia, situando-se em cerca de 220 a média de sete dias. O país regista agora uma morte diária por Covid-19 e não tem observado uma segunda onda da epidemia, ao contrário do que parece estar a acontecer noutras regiões.

Mas ainda é cedo para aferir se o modelo sueco foi o vencedor no combate à epidemia, em termos de saúde da população. Em termos económicos, para já, parece que sim, já que o país perdeu metade da riqueza com a epidemia do que os países que optaram por fechar a população em casa.

Atualizada às 19H44 com mais informação

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de