Iraque junta-se ao acordo e aceita congelar produção de petróleo

O país vai apoiar "qualquer decisão que contribua para a recuperação dos preços do petróleo", garante fonte governamental

O Iraque juntou-se ao acordo anunciado esta terça-feira pela Rússia e a Arábia Saudita, que prevê um congelamento dos níveis de produção de petróleo por parte dos russos e dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP).

Segundo a Reuters, que cita uma fonte ligada ao Ministério do Petróleo iraquiano, o país vai apoiar "qualquer decisão que contribua para a recuperação dos preços do petróleo".

O acordo, anunciado esta terça-feira, prevê que a produção de petróleo se mantenha nos níveis registados em janeiro. Além do Iraque, que confirma agora a sua adesão, Rússia, Arábia Saudita, Venezuela e Qatar são os países que já decidiram não aumentar a oferta da matéria-prima.

Enquanto os governantes ainda estavam reunidos, os preços do petróleo chegaram a disparar mais de 6%, para a casa ds 35 dólares, com as expectativas de que fosse anunciado um corte na produção. Quando o anúncio se ficou por um "congelamento", os ganhos aliviaram e o brent voltou a negociar na casa dos 33 dólares.

Segundo os dados da Agência Internacional de Energia, a Arábia Saudita produziu 10,2 milhões de barris por dia em janeiro, enquanto a Rússia produziu quase 10,9 milhões nesse mês. Estes níveis serão os “adequados” para responder à procura, considerou o ministro saudita.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de