Irlanda cria plano para demolir casas: 1850 complexos desaparecem

Irlanda deixou o programa no fim de 2013
Irlanda deixou o programa no fim de 2013

O badbank irlandês já deu início a um plano que pretende reduzir o número de ativos tóxicos: estão a demolir casas que ficaram inacabadas depois da explosão da bolha imobiliária na Irlanda. O Executivo já canalizou oito milhões em verbas para derrubar as moradias e a opinião pública concorda com a iniciativa.

A agência nacional de gestão de ativos da Irlanda (Nama), conhecida como o depósito de ativos tóxicos da banca, começou a demolir os projetos urbanísticos que ficaram por acabar depois da explosão da bolha imobiliária de 2008 que, tal como em Espanha, levou ao colapso da banca e da economia do país.

As demolições já tiveram início e ao todo serão retiradas da paisagem irlandesa 1850 complexos residenciais. “Se ninguém quer viver nessas vivendas, a solução mais prática é derrubá-las”, explicou o ministro irlandês Jan O’Sullivan.

Cerca de 15% das casas existentes na Irlanda estão vazias, o que representa cerca de 294 mil casas. No período que antecedeu à crise a construção foi exponencial: entre 1995 e 2005 foram construídas meio milhão de habitações. Muitas ficaram por terminar e opinião pública junta-se para denunciar a falta de segurança que advém destes complexos inacabados – 128 vivendas têm prioridade por esta mesma razão.

Mas as cidades fantasmas são tão frequentes na Irlanda como em Espanha, onde a bolha imobiliária teve um resultado semelhante e a imprensa espanhola já olha para esta decisão de Irlanda como um bom exemplo a seguir por Espanha.

Comentários
Outras Notícias que lhe podem interessar
Outros conteúdos GMG
Hoje
(Rui Oliveira / Global Imagens)

Marcas aceleram nas promoções para tirar travão nas vendas

Fotografia: Gonçalo Delgado/Global Imagens

Resposta à pandemia traz riscos de má gestão e corrupção do dinheiro público

Restauração recuperou volume de negócios

CIP: 61% das empresas ainda não recebeu financiamento

Irlanda cria plano para demolir casas: 1850 complexos desaparecem