Itália responde a Bruxelas: Orçamento foi feito por Roma não pela Comissão

Itália não foi apanhada de surpresa com a decisão de Bruxelas. “Este é o primeiro Orçamento italiano que foi escrito em Roma e não em Bruxelas”.

A Comissão Europeia rejeitou a proposta de Orçamento do Estado apresentada por Itália. A decisão comunitária, porém, não terá apanhado o governo de Roma de surpresa, pelo menos a avaliar pelas palavras de Luigi Di Maio. “Este é o primeiro Orçamento italiano que a UE não gosta. Não estou surpreendido. Este é o primeiro Orçamento que foi escrito em Roma não em Bruxelas”, disse o vice-primeiro-ministro italiano, no Facebook, citado pela Reuters.

Por outro lado, e numa entrevista à Bloomberg publicada esta tarde, o primeiro-ministro transalpino, Guiseppe Conte, assegurou que o governo de Roma não tem um “plano B” para o Orçamento. De acordo com a agência de informação, numa altura em que Bruxelas debatia as violações de Itália, Conte dizia em entrevista que estava ansioso por explicar o orçamento do próximo ano à Comissão Europeia. Sugeriu inclusivamente que Roma tinha alguma margem para alterar alguns aspectos da posposta orçamental mas não a parte dos gastos. Na altura, indicou que se lhe fosse pedido para mudar a substância do documento, isso “seria difícil” porque “não posso aceitá-lo”.

Comissão Europeia dá três semanas a Roma para rever planos

A Comissão Europeia rejeitou o orçamento de Itália e vai pedir a Roma que reformule o documento orçamental de forma a cumprir com as metas europeias, algo sem precedentes na história do bloco económico. A notícia foi avançada pela Bloomberg. Mas a Comissão Europeia já divulgou o documento que sustenta essa decisão, assinado pelo vice-presidente, Valdis Dombrovskis.

“A Comissão solicita a Itália que submeta um plano orçamental revisto o mais cedo possível”, indica Valdis Dombrovskis. É dado um prazo máximo de três semanas para que o governo italiano refaça o plano orçamental de forma a incluir medidas que garantam o cumprimento das metas acordadas por Bruxelas.

Dombrovskis refere que a Comissão Europeia notou “sérios incumprimentos com a recomendação endereçada a Itália a 13 de julho de 2018”. Acrescenta que a proposta de orçamento italiano “não está em linha com os compromissos apresentados por Itália no Programa de Estabilidade em abril de 2018”.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de